Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Hipomagnesemia grave secundária ao uso crônico de inibidor de bomba de prótons: relato de caso

Fundamentação/Introdução

Os inibidores de bomba de prótons (IBPs) estão entre os medicamentos mais utilizados no mundo, indicados principalmente no alívio de sintomas dispépticos, prevenção e tratamento de úlceras pépticas. Introduzidos no mercado na década de 80, atualmente têm-se observado as consequências de seu uso crônico, com vários efeitos adversos questionados como aumento do risco cardiovascular, doença renal crônica, demência, aumento do risco de fraturas e distúrbios eletrolíticos, principalmente hipomagnesemia e hipocalcemia.

Objetivos

Relatar um caso clínico de efeito adverso incomum, secundário ao uso prolongado de IBPs em altas doses.

Delineamento/Métodos

Paciente do sexo masculino, 66 anos, hipertenso, diabético, tabagista ativo 50 anos/maço e portador de esôfago de Barret, em uso de pantoprazol 80 mg/dia há 10 anos. Iniciou quadro de tremor fino de ação em mãos, evoluindo para braços e pernas, presentes ao repouso, acompanhado de sensação de plenitude gástrica, náuseas e vômitos. Relatou emagrecimento de 10 kg em 60 dias. Durante a evolução, apresentou episódio único de crise convulsiva tônico-clônica generalizada com período pós-ictal prolongado. Associado ao quadro, apresentava episódios recorrentes de diarreia.
À admissão no Pronto Atendimento, apresentava sinais vitais estáveis, consciente, porém desorientado em tempo e espaço, coordenação motora preservada, reflexos presentes e simétricos, com disartria e mioclonias generalizadas. Exames laboratoriais iniciais mostravam: Cálcio iônico = 0,67 (VR 1,15-1,29 mmol/l), Magnésio indetectável ( VR 1,5-2,1 mEq/L). Administrado 1.000 ml SF 0,9%, 2 ampolas de Gluconato de Cálcio 10% e 4 ampolas de Sulfato de Magnésio 10%.

Resultados

Encaminhado para enfermaria de Clínica Médica onde foi suspenso pantoprazol, iniciado calcitriol, além de reposição de magnésio e cálcio em bomba de infusão contínua, com melhora progressiva até a normalização dos níveis séricos.
Após investigação, foi atribuída como etiologia da hipomagnesemia e hipocalcemia o uso crônico em altas doses de IBP, com resolução clínica favorável após suspensão da droga e reposição adequada de eletrólitos.

Conclusões/Considerações finais

Observamos ao longo dos anos a disseminação do uso dos IBPs, muitas vezes sem indicação terapêutica evidente. Neste caso, observamos um relato de hipomagnesemia e hipocalcemia graves secundários ao uso prolongado de IBP em altas doses. Assim, é importante ressaltar a necessidade de cautela na indicação e manutenção dos IBP e individualização de seu uso.

Palavras Chaves

Inibidores de bomba de prótons; hipomagnesemia; hipocalcemia.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Estadual de Campinas - Sao Paulo - Brasil

Autores

Vinicius Benetti Miola, Guilherme Amorim Souza Faria, Marcos Vieira Rangel Pereira, Ana Claudia Guidio Paquola, Cristina Alba Lalli

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017