Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise da Mortalidade Infantil em Santarém, Pará no período de 2013 a 2015

Fundamentação/Introdução

A mortalidade infantil, apesar da diminuição global de seus índices, ainda é uma realidade presente em vários países em desenvolvimento. No mundo e no Brasil, constata-se que as diferenças estatísticas em relação às taxas de mortalidade nas crianças são manifestações das desigualdades socioeconômicas e ambientais, configurando-se, portanto, um dos melhores indicadores do nível de vida e bem-estar social de uma população.

Objetivos

Analisar o perfil da mortalidade infantil do município de Santarém, PA, no período de 2013 a 2015.

Delineamento/Métodos

Pesquisa quantitativa, descritiva, retrospectiva, analítica e documental. Os dados foram obtidos do Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC) e do Sistema de Mortalidade (SIM), do ministério da Saúde, alimentados, respectivamente, pelas declarações de nascidos vivos e declaração de óbitos, pela Secretária Estadual de Saúde do Pará (SESPA). A pesquisa foi constituída por 19.685 nascidos vivos do período de 2013 a 2015, filhos de mães residentes de Santarém, e por 295 óbitos de menores de 1 ano de vida ocorridos no local de residência no mesmo período. Os dados foram tabulados e tratados descritivamente em planilhas eletrônicas do programa Excel®.

Resultados

Constatou-se 295 óbitos infantis originados do conjunto de 19.685 nascidos vivos no período de 2013 a 2015, de mães residentes do município de Santarém-PA, tendo como taxa de mortalidade infantil média de 14,98 óbitos por mil nascidos vivos. Com relação ao gênero, observou-se que um maior percentual de óbitos no sexo masculino 54,57% (161). Em relação à faixa etária, 64,4% (190) dos óbitos ocorreram no período neonatal precoce, 12,2% (36) no período neonatal tardio e 23,38% (69) no período pós-neonatal. Quanto ao peso ao nascer, das crianças que foram a óbito, 34,91% nasceram com peso muito baixo (<1500g), 18,98% com baixo peso (1500 a 2500g), enquanto 36,27% nasceram com peso superior a 2500g. A causa básica de morte de maior prevalência durante o período estudado foram as afecções perinatais com 64,74%.

Conclusões/Considerações finais

A realização desse estudo permitiu conhecer o perfil da mortalidade infantil em Santarém/Pará, município da Amazônia brasileira, no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2015, evidenciando que, apesar de baixa, a Taxa de Mortalidade infantil não vem acompanhando as taxas do Brasil, apresentando tendência de aumento.

Palavras Chaves

Mortalidade Infantil, Causas básicas, Pré-natal, Pós-parto

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade do Estado do Pará - Para - Brasil

Autores

Igo Feitosa Santos, Carlos Alberto Sinimbu Carvalho, Paula Socorro Oliveira Soares, Raina Caroline Batista Quaresma, Sofia Dosares Batista Silva


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017