Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

APRESENTAÇÕES DISTINTAS DA HEMOCROMATOSE HEREDITÁRIA: A PROPÓSITO DE DOIS CASOS CLÍNICOS.

Fundamentação/Introdução

A hemocromatose hereditária caracteriza-se por um acúmulo progressivo de ferro no organismo, com deposição em órgãos como o fígado, o pâncreas e o coração, gerando dano estrutural e perda das funções destes. O diagnóstico precoce possibilita a terapêutica adequada com redução das complicações ocasionadas pela doença.

Objetivos

Reforçar a importância do diagnóstico precoce, na tentativa de retardar a progressão da doença e o desenvolvimento de suas complicações.

Delineamento/Métodos

Caso 1: Paciente, 42 anos, masculino, natural e procedente de Itapipoca, CE, apresentou há 2 meses da admissão hospitalar um quadro de dispnéia aos moderados esforços, aumento do volume abdominal, edema de membros inferiores e diarreia. Foi diagnosticado com insuficiência cardíaca (IC), confirmado pelo ecocardiograma que revelou fração de ejeção de 29%, aumento importante de ventrículo e átrio esquerdos, hipocinesia difusa dos ventrículos, disfunção diastólica de grau III e trombo em ápice do ventrículo esquerdo. Foi iniciado terapia para IC e anticoagulação, com melhora dos sintomas do paciente. Paciente hipertenso; nega diabetes, etilismo e transfusões sanguíneas prévias. Relatou que 3 irmãos apresentavam elevação da ferritina sérica. A dosagem de ferritina do paciente estava acima de 1000 ng/ml, o índice de saturação da transferrina estava normal e as aminotransferases pouco aumentadas. Seguiu-se com biópsia cardíaca que revelou padrão de hipertrofia miocárdica sem presença de depósitos de sais de ferro pela coloração de Perls. O teste genético para hemocromatose por reação de cadeia de polimerase detectou heterozigose para mutação C282Y e H63D.

Resultados

Caso 2: Paciente, 47 anos, masculino, natural e procedente de Pacajus, CE. Há 6 dias da admissão iniciou quadro de dor, rubor, edema em membros superiores e membro inferior esquerdo, além de febre com calafrios. Foi iniciado tratamento com antibiótico por suspeita de piomiosite. Paciente diabético em uso de insulina, referia dor em região epigástrica e à palpação abdominal evidenciava-se uma hepatomegalia. Na investigação detectou-se um hipogonadismo hipogonadotrófico, sugerindo um quadro de hemocromatose, confirmado por biópsia hepática.

Conclusões/Considerações finais

O diagnóstico de hemocromatose muitas vezes é dado quando as complicações da doença já estão instaladas. Frente a isso, a necessidade do diagnóstico precoce é fundamental, como forma de retardar as complicações e reduzir as disfunções orgânicas.

Palavras Chaves

HEMOCROMATOSE; DIABETES MELLITUS; INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Geral Dr. César Cals - Ceara - Brasil

Autores

Camila Sâmea Monteiro Bezerra, Fernanda Rego Militão, Isabelle Oliveira Parahyba, Lys Carneiro Soares de Castro, Herivaldo Ferreira da Silva

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017