Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ADENOCARCINOMA GÁSTRICO EM PACIENTE ABSORTO AOS SINAIS DE ALARME: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A alta incidência de câncer gástrico nos coloca frente a um problema de saúde preocupante, demandando conhecimento e condutas acertadas, principalmente diante de uma clínica com sinais de alarme persistentes e diagnóstico tardio.

Objetivos

Relatar um caso de adenocarcinoma gástrico em paciente absorto aos sinais de alerta.

Delineamento/Métodos

Estudo descritivo tipo relato de caso.

Resultados

M.S., sexo feminino, 37 anos. Paciente buscou atendimento médico com quadro de dor epigástrica de forte intensidade, associada a náuseas, vômitos e eructações de odor fétido há 03 anos, além de hiporexia e perda ponderal de 22kg em 11 meses, que representa 27% do seu peso corporal. Em uso de Inibidor de Bomba de Prótons. Relatou histórico familiar de câncer intestinal e como hábitos de vida, destaca-se dieta hipolipídica e sem irritantes gástricos. Exames laboratoriais indicaram anemia, com hemoglobina de 7,9g/dL. Foi solicitada Endoscopia Digestiva Alta (EDA), que evidenciou presença de lesão úlcero-infiltrativa na região final do antro, além de mucosa friável e endurecida que dificulta acesso ao duodeno. O anatomopatológico da biópsia gástrica apresentou adenocarcinoma tubular moderadamente diferenciado, tipo intestinal de Lauren e pesquisa de Helicobacter pylori negativa. Em seguida, foi submetida a Laparotomia Exploradora (LE), com achados de ascite moderada, grande massa em piloro/antro gástrico e múltiplos implantes peritoneais, sugerindo carcinomatose peritoneal, com realização de gastroanastomose.

Conclusões/Considerações finais

Muito se tem discutido sobre a promoção e a prevenção da saúde, porém há limitações de campanhas de conscientização e programas de rastreamento relacionados à morbimortalidade do adenocarcinoma gástrico, principalmente quando a sobrevida do paciente depende de uma clínica precoce. Diante disso, é fundamental destacar como parte de uma vigilância ativa para tumor gástrico a solicitação em tempo apropriado de uma EDA, que tem indicações precisas quando em qualquer idade apresenta sinais de alarme, como anemia, perda de peso, vômitos recorrentes e disfagia. Portanto, é imprescindível uma investigação minuciosa para o estabelecimento de um diagnóstico precoce com avanço na qualidade de vida desses pacientes.

Palavras Chaves

Adenocarcinoma gástrico; sinais de alarme; diagnóstico tardio.

Área

Clínica Médica

Instituições

Autores

Isa Maryana Araújo Bezerra de Macedo, Mara Juliane Silva Jovino, Crislanny Regina Santos da Silva, George Alexandre Lira


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017