Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Acidose metabólica induzida por metformina - Relato de caso

Fundamentação/Introdução

A acidose metabólica é um distúrbio do equilíbrio ácido-base definida por ph <7,40 e aumento da concentração de ácidos no líquido extracelular. É uma patologia frequente em pacientes gravemente enfermos internados em unidades de terapia intensiva, sendo o principal subtipo a acidose lática: acidemia associado a altos níveis de lactato sanguíneo. Embora a complicação seja rara em pacientes com diabetes mellitus tipo 2 em uso de metformina, é de grande preocupação tal diagnóstico devido as altas taxas de mortalidade.

Objetivos

Relatar o caso de uma paciente com acidose metabólica induzida por metformina destacando a importância do manejo correto da patologia visando melhora do prognóstico.

Delineamento/Métodos

Paciente AFM, feminino, 60 anos, deu entrada no pronto socorro com rebaixamento do nível de consciência e história pregressa de vômitos, fraqueza, dor em membros inferiores e redução do volume urinário. Como antecedentes pessoais tinha diabetes mellitus com complicações (neuropatia periférica), hipertensão arterial sistólica, hipotireoidismo, síndrome demencial e neoplasia de mama há 18 anos. Ao exame físico estava em mal estado geral, corada, desidratada, pressão arterial 70x36mmHg, frequência cardíaca 62 bpm, frequência respiratória 28 irpm e temperatura axilar 35 graus. Os exames laboratoriais da admissão apresentavam: ph 6,59, Pco2 39,7mmHg, saturação de O2 46,90% ao ar ambiente, lipase 126U/L, amilase 364U/L, potássio 7,2 mmol/L, lactato 171,3 mg/dL, uréia 183 mg/Dl, creatinina 4,45mg/Dl. Medidas de suporte intensivo foram realizadas sendo solicitado novos exames para elucidação diagnóstica (hipótese de descompensação diabética). Em nova gasometria arterial no mesmo dia, paciente apresentou pH 6,85, PO2 90,2mmHg, Pco2 25,6mmHg, HCO3 4,4mmol/L, saturação de O2 81%ao ar ambiente e lactato 206,4mg/dL. Paciente extremamente grave, permanecendo instável hemodinamicamente fazendo-se necessário uso de drogas vasoativas em doses elevadas, evoluindo com hipotermia, diurese reduzida, disfunção renal em hemodiálise e acidose metabólica grave refratária. Por se tratar de uma doença com mau prognóstico, o tratamento inicial consiste em rápida identificação do distúrbio eletrolítico, correção da doença de base, suporte respiratório, descontaminação sanguínea do fármaco com diálise e terapia bicarbonada. O objetivo do tratamento é a correção da acidose, diminuição das lesões celulares irreversíveis subsequentes e melhora hemodinâmica do paciente.

Resultados

Relato de caso

Conclusões/Considerações finais

Conclusão

Palavras Chaves

acidose lática, metformina

Área

Clínica Médica

Instituições

FACERES - Sao Paulo - Brasil

Autores

Mariane Carriel Honório, João Victor Figueiredo, Rodolfo Valentim Aguiar Bartolomeu, Ronaldo Silva


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017