Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Crise Econômica: O Impacto na Mortalidade por Causas Externas no Estado de Sergipe

Fundamentação/Introdução

Uma crise político-econômica mostra-se presente no contexto brasileiro iniciada no ano 2014 e refletida no aumento da taxa de desocupação populacional e inflação. A produção científica global evidencia as consequências da crise na saúde, como aumento da mortalidade por agressões e redução das mortes em trânsito.

Objetivos

Influência da crise econômica brasileira em marcadores de saúde sobre a mortalidade no Estado de Sergipe.

Delineamento/Métodos

Estudo epidemiológico descritivo, transversal e retrospectiva, tendo como banco de dados o DATASUS, o Instituto de Medicina Legal do Estado de Sergipe e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os dados foram tabulados no software Microsoft® Excel e correlacionados através IBM® SPSS, utilizando o método de Pearson.

Resultados

Um total de 10994 dados foram analisados, dos quais 4023 (36,6%) foram representados como óbitos por agressões e 6971 (63,4%) óbitos por acidentes no trânsito, entre 2010 e 2016. No mesmo período, marcadores de crise econômica demonstram aumento relativo às suas médias, como a inflação (aumento de 6,42%) e taxa de desocupação/desemprego (aumento de 71,6%). Os marcadores de saúde apresentaram, no intervalo, também variações relativos consideráveis, tendo o número de óbitos por agressão aumentado em 89,8% e o número de óbitos em acidentes de trânsito reduzido 37,1%. Ao correlacionar os marcadores de mortalidade com a taxa média de desocupação/desemprego, percebeu-se resultado significativo estatisticamente apenas para a redução acidentes no trânsito (r-Pearson = -0,7317 e p = 0,039).

Conclusões/Considerações finais

Os efeitos da crise na saúde demonstrados em outras localidades e literaturas foram notados de forma similar no Estado de Sergipe em termos de valores absolutos. Entretanto, percebe-se que o aumento da mortalidade por agressão não apresentou correlação significativa com a taxa média de desocupação/desemprego, levando a acreditar que exista uma multifatorialidade quando tratado este aumento. Em contrapartida, a redução significativa da mortalidade por acidentes no trânsito pode relacionar-se inversamente proporcional à crise, uma vez que reduzido o poder de compra, expresso na taxa de desemprego/desocupação, há também redução do consumo de combustíveis e produtos industrializados.

Palavras Chaves

Crise econômica; mortalidade; causas externas

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Tiradentes - Sergipe - Brasil

Autores

Beatriz Mendonça Martins, João Gabriel Lima Dantas, Raul Lima Dantas, Allan Victor Hora Mota, Sérgio Pedroso Junior

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017