Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA COM MANIFESTAÇÃO DE DOENÇA DE CROHN

Fundamentação/Introdução

A Doença de Crohn pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal, nos 75% dos pacientes com doença do intestino delgado o íleo terminal é acometido em 90 % dos casos. A febre pode ser manifestação de ileocolite, mas quando em elevados picos sugere formação de abcesso associado.

Objetivos

Relatar caso de paciente com Febre Prolongada associada a Doença de Cronh.

Delineamento/Métodos

Paciente relata que em 2014 iniciou quadro de episódios febris aferidos(em média 38 graus), no período vespertino, cerca de duas vezes ao mês associada a mialgia e artrite geralmente em grandes articulações. A febre cedia com antipiréticos. A febre permaneceu no mesmo padrão até o início de 2016, quando passou a durar cerca de uma semana e sem horário específico.

No período de três anos teve perda ponderal de 22 quilos associada a hiporexia. Não apresentava relato de diarreia, e referia dor abdominal difusa leve, com maior intensidade em andar superior de abdome e que piorava a alimentação e a palpação.

Paciente procurou o serviço de Clínica Médica e foi internado para investigação diagnóstica, durante o internamento foi investigado Malária, já que o paciente tinha relato de viagens anuais ao Norte do Brasil, com resultado negativo, Tuberculose renal, Endocartite, Leishmaniose Visceral, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Doença de Still e outras causas de febre de origem indeterminada.

Resultados

Na colonoscopia mostrou úlceras rasas, com fundo de fibrina e bordos pouco elevados e eritematoso, que poupavam reto, mais presente em cólon direito e íleo distal. Foi aventada a hipótese de Doença de Crohn, sendo prescrito Mesalazina. Paciente não apresentou melhora da febre com a medicação após alta hospitalar e foi internado novamente para realização de novos exames. A segunda colonoscopia mostrou novamente úlceras em íleo terminal, com histopatológico que mostrou ileíte crônica erosiva. Paciente iniciou uso de corticoide, com melhora clínica, evoluindo afebril e com ganho ponderal.

Conclusões/Considerações finais

A doença de Crohn associada a ileíte crônica pode ser causa de febre de origem prolongada, mesmo na ausência de infecção associada, e o diagnóstico de doença inflamatória intestinal sem sintomas gastrointestinais exuberantes.

Palavras Chaves

FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA, DOENÇA DE CROHN

Área

Clínica Médica

Instituições

HOSPITAL GERAL DR CESAR CALS - Ceara - Brasil

Autores

FERNANDA REGO MILITAO, RENAN CUNHA DA SILVA, CAMILA SAMEA MONTEIRO BEZERRA, LYS CARNEIRO SOARES DE CASTRO, CAIO CESAR FURTADO FREIRE

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017