Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Epidemiologia dos acidentes com animais peçonhentos registrados no estado do Tocantins

Fundamentação/Introdução

Fundamentação/Introdução: No Brasil os acidentes com animais peçonhentos constituem um problema de Saúde Pública, principalmente em municípios do interior do país. Informações regionais atualizadas são importantes para o desenvolvimento de ações de vigilância epidemiológica.

Objetivos

Objetivos: Através desta pesquisa determinaram-se os aspectos epidemiológicos dos acidentes com animais peçonhentos registrados no estado do Tocantins, de 2011 a 2015.

Delineamento/Métodos

Delineamento e Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, cujos dados foram obtidos por meio de consulta à base de dados SINAN (Sistema de Informações de Agravos de Notificação), disponibilizada pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS).

Resultados

Resultados: No período estudado foram registrados 10951 acidentes, destes 4118 ocasionados por serpentes, 2940 por escorpiões e 413 por aranhas, com o restante dos acidentes causados por Lagarta, 465, abelha, 832 e outros. A maioria dos acidentes com serpentes foram provocadas pelos gêneros Bothrops (78,6%), Crotalus (9,1%) e Micrurus (0,65%). Quanto às vítimas, prevaleceram indivíduos do sexo masculino (66,9%), na faixa etária entre 20-39 anos (36,1%), de raça parda (76,14%), com ensino fundamental completo (55,9%), envolvidos em atividades do campo como agricultura e pecuária (41,2%). Predominaram os acidentes de gravidade leve (62,4%). Quanto ao tempo da picada ao atendimento, 35,6 % dos indivíduos foram atendidos em menos de 1 hora e 30,2% de 1-3 horas após.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões/Considerações Finais: Portanto, o período avaliado foi caracterizado pelo predomínio de acidentes com serpentes, no sexo masculino, em atividades do campo, de gravidade leve, com atendimento após menos de 3 horas do ocorrido e com ensino fundamental completo. Embora a escolaridade das vítimas não seja um fator determinante para a ocorrência de acidentes, a exposição a atividades menos especializadas e a não adoção ou falta de conhecimento sobre as medidas preventivas pode favorecer a ocorrência desses agravos. Assim, campanhas educativas e a adoção de medidas de prevenção são fundamentais para diminuir o registro desses agravos no estado.

Palavras Chaves

Peçonhentos; Epidemiologia; Tocantins

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal do Tocantins - Tocantins - Brasil

Autores

Renan Miranda Santana, Pedro Paulo Fernandes de Melo, Fernando Tranqueira da Silva, Tarciso Liberte Romão Borges Júnior, Virgilio Ribeiro Guedes

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017