Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ATENDIMENTO ANTIRRÁBICO NO SETOR DE EMERGÊNCIA DE UM HOSPITAL ESCOLA DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL: UM PERFIL EPIDEMIOLÓGICO

Fundamentação/Introdução

Introdução: A raiva exige do médico uma atenção especial devido a sua letalidade. Mesmo em áreas de baixo risco é importante garantir a assistência integral e a adoção de medidas de prevenção primária e secundária.

Objetivos

Objetivos: Analisar o perfil epidemiológico das notificações dos atendimentos antirrábicos realizados em um hospital escola do interior do Rio Grande do Sul (RS).

Delineamento/Métodos

Métodos: Estudo retrospectivo, descritivo, transversal e observacional de 169 fichas de atendimento antirrábico humano, do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, preenchidas pelo setor de emergência do Hospital Santa Cruz, Santa Cruz do Sul – RS, no ano de 2016

Resultados

Resultados: Do total de atendimentos, 91,1% foram por mordedura. As regiões afetadas foram mãos e pés (45,6%), membro superior (29%) e membro inferior (27,2%). A apresentação como ferimento único foi de 69,2%. Quanto a gravidade, os ferimentos foram definidos como: superficiais (57,4%), profundos (37,3%) ou dilacerantes (8,3%). Os cães foram a espécie mais agressora (85,2%). A condição do animal após a avalição do veterinário, para fins de conduta do tratamento profilático, foi sadia em 67,5% dos casos. Em 81,1% dos atendimentos o animal era passível de observação. Quanto ao tratamento indicado verificou-se: observação do animal (56,8%), observação e vacina (20,7%), somente vacina (17,2%), soro e vacina (3,6%) e casos que dispensaram tratamento (0,6%). Em relação a condição final do animal após o período de observação, 78,1% apresentaram clínica negativa para raiva, 12,4% foram sacrificados ou não diagnosticados, 0,6% com resultados laboratoriais negativos para raiva e em 8,3% a condição foi ignorada. A falta de aderência ao tratamento foi de 33,1%. Em 55,6% dos casos não apresentavam tal conduta descrita.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões: Os resultados demonstram uma uniformidade característica deste tipo de atendimento. Há uma predominância de um animal agressor doméstico, bem como do local e do tipo de lesão esperados, especialmente, considerando-se o tamanho de tais animais. Em uma zona de baixa prevalência de raiva em animais domésticos a conduta de observação foi a prevalente e aceitável como padrão. Desta forma, pode-se afirmar que o modelo adotado está de acordo com os protocolos que possibilitam condutas mais restritivas, porém intervencionistas do sistema veterinário. Tal modelo demonstra a importância da atividade integrada dos serviços primário e terciário, otimizando insumos, custos e evitando eventos adversos com medicamentos.

Palavras Chaves

Palavras-chave: Raiva, Antirrábico, Perfil Epidemiológico, Conduta.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Matheus Pedro Strapasson, Lara de Matos, Fernando Antônio Guth Johnson, Walter Jorge Bravo Cassales Filho, Marcelo Carneiro

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017