Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARATIVO ENTRE ALGORITMO DO PROJETO DIRETRIZES E ESCORE DE PÁDUA PARA AVALIAÇÃO DO RISCO DE TROMBOEMBOLISMO VENOSO EM PACIENTES CLÍNICOS DE HOSPITAL PÚBLICO DE JOÃO PESSOA

Fundamentação/Introdução

Introdução: O Tromboembolismo venoso (TEV) abrange um espectro de doenças que constituem a principal causa de óbito evitável em âmbito hospitalar, sendo a maioria associada às comorbidades clínicas não cirúrgicas. Assim sendo, os protocolos para identificar os pacientes de alto risco que devam fazer profilaxia para TEV devem ser seguros e eficazes a fim de evitar desfechos negativos.

Objetivos

Objetivos: Comparar o algoritmo do Projeto Diretrizes para profilaxia de TEV em pacientes clínicos com o Escore de Pádua em um hospital público de João Pessoa-PB.

Delineamento/Métodos

Métodos: Foi realizado um estudo observacional quantitativo retrospectivo com uma amostra de 38 pacientes internados na enfermaria clinica de um hospital público no município de João Pessoa-PB. Um questionário padronizado contendo dados demográficos e os dois protocolos foi preenchido por meio de consulta de prontuário e entrevista com os pacientes. Em seguida foi realizada uma análise descritiva dos dados coletados.

Resultados

Resultados: Dos 38 pacientes, 33 (87%) foram classificados em alto risco para TEV com o escore de Pádua, sendo os fatores de risco mais recorrentes: mobilidade reduzida em 31 (82%), infecção aguda ou desordem reumatológica em 25 (66%) e insuficiência cardíaca ou respiratória em 24 (63%). Desse total, 30 (91%) faziam uso da profilaxia apropriada, no entanto o escore não avalia contraindicações de seu uso. Já com o algoritmo do Projeto Diretrizes, a profilaxia está indicada para pacientes acima de 40 anos com mobilidade reduzida e mais algum fator de risco. Assim sendo, 30 pacientes (78,9%) possuíam indicação de profilaxia, sendo realizada em 28 deles (93,3%); e os fatores associados mais prevalentes foram: idade acima de 55 anos (81,6%) e infecção (71%). A profilaxia teve contraindicação absoluta em apenas 2 pacientes.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões: O estudo sugere que a aplicação de escalas diferentes resulta em uma análise de risco e consequentemente indicação de quimioprofilaxia diferente. O algoritmo proposto pela diretriz tem a vantagem de avaliar contra-indicação. Como a amostra analisada foi pequena, mais estudos devem ser realizados para avaliar o papel e as diferenças na aplicação das escalas.

Palavras Chaves

Palavras-chave: Anticoagulantes. Profilaxia. Tromboembolia venosa.

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Municipal Santa Isabel - Paraiba - Brasil

Autores

Laís Henriques de Oliveira, Willams Germano Bezerra Segundo, Alberto de Sousa Videres Filho, Gabriel Mendonça Diniz Lima, Maria Alenita de Oliveira

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017