Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Estudo epidemiológico das doenças cardiovasculares no estado do Tocantins

Fundamentação/Introdução

As doenças cardiovasculares (DCV) são as principais causas de morte da população brasileira. Segundo o Ministério da Saúde essas são responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no país em um ano, deixando o Brasil entre os 10 países com maior incidência de mortalidade por patologias cardiocirculatórias.

Objetivos

Analisar o perfil epidemiológico de morbimortalidade das doenças cardiovasculares no estado do Tocantins (TO), entre os anos de 2010 a 2012.

Delineamento/Métodos

Estudo descritivo e retrospectivo, com dados obtidos no DATASUS, pelo sistema de verificação de óbitos do TO e por meio do programa ASSISTAT, mostra as mortes por doenças cardiocirculatórias no período de 2010 a 2012, além de avaliar as regiões por grupo, utilizando-se ANOVA, através do teste de Turkey.

Resultados

No estado tiveram 1323 óbitos por infarto agudo do miocárdio (IAM) não específico, 1019 por acidente vascular cerebral (AVC) não especificado, 526 por doença cardíaca hipertensiva com insuficiência cardíaca (IC), 440 por hipertensão arterial sistêmica (HAS) e 285 por insuficiência cardíaca congestiva (ICC). Em Araguaína foram 281 óbitos por IAM não específico, 229 por AVC não especificado, 128 por doença cardíaca hipertensiva insuficiência cardíaca (IC) com IC, 60 por HAS e 62 por ICC. No Bico do Papagaio foram 211 óbitos por IAM não específico, 240 por AVC não especificado, 106 por doença cardíaca hipertensiva com IC, 98 por HAS e 37 por ICC. Em Dianópolis foram 94 óbitos por IAM não específico, 88 por AVC não especificado, 56 por doença cardíaca hipertensiva com IC, 52 por HAS e 28 por ICC. Foram 211 óbitos por Em Gurupi foram 129 IAM não específico, 118 por AVC não especificado, 36 por doença cardíaca hipertensiva com IC, 61 por HAS e 31 por ICC. No Jalapão foram 95 óbitos por IAM não específico, 47 por AVC não especificado, 26 por doença cardíaca hipertensiva com IC, 18 por HAS e 20 por ICC. Em Miracema foram 180 óbitos por IAM não específico, 112 por AVC não especificado, 74 por doença cardíaca hipertensiva com

Conclusões/Considerações finais

A partir da análise dos dados adquiridos e possível analisar que número de incidência de doenças cardiocirculatórias do estado do Tocantins e suas microrregiões, está relacionado, de forma direta, ao tamanho da população de cada município, já que não houve diferença significativa pelo teste de Tukey a 5%, entre as regiões de Araguaína e Bico do Papagaio, porém houve diferença significativa quando compararam-se as regiões de Araguaína e demais regiões com menores incidências das doenças.

Palavras Chaves

"cardiovascular" , "morbidade" , "patologias"

Área

Clínica Médica

Instituições

ITPAC - Faculdade Presidente Antônio Carlos - Tocantins - Brasil, UNIRG - Centro Universitário Unirg - Tocantins - Brasil

Autores

PATRÍCIA CARNEIRO DOS REIS, MILENA APARECIDA CARNEIRO DOS REIS, FRANCILEIA FERREIRA NOGUEIRA BOAVENTURA

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017