Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Correlação entre o tempo de tratamento hemodialítico e a capacidade funcional e força de pacientes atendidos em um Serviço de Hemodiálise no sul do país

Fundamentação/Introdução

A doença renal crônica, caracterizada pela redução da função renal e dano renal por período igual ou superior a três meses, está relacionada a diminuição na funcionalidade geral dos pacientes acometidos. Observa-se que os domínios de capacidade física, laboral, psicossocial e emocional são os que acarretam em maior impacto na vida dos indivíduos dependentes de tratamento hemodialítico.

Objetivos

O objetivo do presente estudo foi descrever as característica sociodemográficas, nutricionais, capacidade funcional e força de pacientes em hemodiálise (HD), bem como verificar a correlação entre tempo de tratamento hemodialítico e capacidade funcional e força.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo observacional, do tipo transversal com uma amostra de setenta pacientes atendidos em um Centro de Nefrologia da região sul do país. Mediu-se a capacidade funcional por meio do teste de caminhada de 6 minutos, realizado em um corredor de 30 metros. A força foi medida com dinamômetro toracolombar e realizou-se duas medidas de força com intervalo de dois minutos entre elas e a mais alta foi registrada. Estes testes foram realizados antes da última sessão de HD da semana. Os dados foram digitados no programa Epidata 3.1 e analisados no pacote estatístico Stata 14.2, são apresentados em médias (desvio padrão). Para verificar a correlação entre as variáveis foi utilizado coeficiente de correlação de Pearson.

Resultados

Dos 70 pacientes incluídos no estudo, a maioria eram casados ou viviam com companheira (49,3%), apresentava cor de pele branca (59,4%) e não fumava (92,7%). A média de idade foi de 52,6 anos (15,7), o tempo médio de tratamento hemodialítico foi de 4,05 anos (3,78) e a mediana de renda familiar foi de R$ 1.200,00. A capacidade funcional obtida a partir do teste de caminhada de 6 minutos foi de 426,8m (121,8), sendo de 410,7m (130,1) entre as mulheres e 445,8m (110,8) entre os homens. A força média foi de 140,0 kg (62,9), sendo de 102,6 kg (40,6) entre as mulheres e 175,0 kg (59,7) entre os homens. A capacidade funcional (0,01) e força (-0,14) não apresentaram correlação com tempo de tratamento hemodialítico.

Conclusões/Considerações finais

Corroborando com resultados de estudos prévios, pacientes com doença renal crônica em HD apresentam capacidade funcional e força comprometidos. No entanto, na amostra estudada não foi observada correlação entre estas variáveis e o tempo de tratamento hemodialítico. Dessa forma, observa-se a necessidade de mais estudos a respeito do tema, com amostras maiores para um melhor entendimento.

Palavras Chaves

Tempo de tratamento hemodialítico; capacidade funcional; força

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Católica de Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Eduarda Silva, Eduardo Barcellos Nunes, Vitória Jorge Cenci, Aline Machado Araújo, Rodrigo Kohn Cardoso

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017