Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Apresentação da Doença de Still do Adulto na Febre de Origem Indeterminada: Relato de caso

Fundamentação/Introdução

A doença de Still do Adulto é uma doença rara e de etiologia desconhecida. Está entre as causas mais frequentes de febre de origem indeterminada. Cerca de 75% dos casos ocorrem entre 16 e 35 anos e sua prevalência é semelhante em ambos os sexos. O diagnóstico é baseado em achados clínicos e laboratoriais, após a exclusão de outras doenças febris. Hiperferritinemia é encontrada em mais de 70% dos pacientes com doença ativa e está correlacionada com a atividade da doença, podendo ser usada como marcador, pois seus níveis excedem em muito os encontrados em outras doenças reumáticas.

Objetivos

Descrever um caso de Doença de Still do Adulto em feminina de 41 anos previamente hígida.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo do tipo relato de caso. A pesquisa foi realizada na base de dados da Biblioteca Virtual de Saúde. Foram obtidos artigos originais científicos na LILAC, SciELO, Scopus e PubMed. Os descritores utilizados foram: “adult still disease”, “fever of undetermined origin” e “hyperferritinemia”. O limite temporal foi 2010 e o idioma escolhido foi o inglês.

Resultados

Feminina, 41 anos, previamente hígida, iniciou quadro de febre vespertina (39ºC) há 4 meses, associada a diarreia, artralgia e edema de membros inferiores. Concomitantemente apresentava rash cutâneo em região flexora dos membros superiores que se tornava mais evidente durante os picos febris. Paciente relata que durante esses 4 meses perdeu mais de 20 kg. Apresentava, de acordo com exames laboratoriais, anemia (hemoglobina 10,1 g/dL), neutrofilia (leucócitos 19.150/mm³ - segmentados 17.809/mm³) e hiperferritinemia (ferritina sérica 40.000 µg/L). Foram afastadas doenças infecciosas, virais, neoplásica e do tecido conjuntivo, considerando-se, então, o diagnóstico de Doença de Still do Adulto. Foi proposto inicialmente tratamento com prednisona na dose de 60 mg/dia, associado a metotrexato 20 mg/semana com melhora parcial do quadro clínico e laboratorial. Após três meses houve reagudização da doença e introdução de etarnecepte 50mg/semana. Paciente segue em acompanhamento ambulatorial.

Conclusões/Considerações finais

O caso em questão foi por nós considerado como um desafio diagnóstico, por tratar-se de uma paciente fora da faixa etária comum da doença, visto que em apenas 30% dos casos ocorre após os 35 anos de idade, com quadro de febre de origem indeterminada.

Palavras Chaves

Adult still disease, fever of undetermined origin, hyperferritinemia.

Área

Clínica Médica

Autores

Luiz José de Souza, Glícia Campanharo Malheiros, Manuela Lordelo Caldas, Fernanda Santos Azevedo, Lorena de Freitas Barros

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017