Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Diagnóstico de bócio mergulhante em paciente com insuficiência cardíaca congestiva: relato de caso

Fundamentação/Introdução

O bócio mergulhante (BM) é descrito como uma massa tireoidiana que possui 50% ou mais do seu volume localizado dentro da cavidade torácica, porém não há consenso na sua definição. A patogênese é pouco compreendida e o tratamento cirúrgico deve ser considerado na presença de indicações (sintomas compressivos, alta suspeição de malignidade, hipertireoidismo, preferência estética).

Objetivos

Descrever o diagnóstico diferencial de BM para investigação de dispneia em paciente com queixa de disfagia e com Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC) estágio C.

Delineamento/Métodos

Relato de caso

Resultados

Descrição do caso: Mulher de 82 anos, parda, hipertensa de longa data apresentava tosse produtiva (expectoração esbranquiçada), dor torácica (irradiando-se para dorso e membro superior esquerdo) e dispneia aos mínimos esforços (classe funcional/NYHA III) há 15 dias, associada a edema de membros inferiores e disfagia. Ao exame físico constatou-se estado geral regular, ausculta respiratória evidenciando murmúrio vesicular presente em ambos hemitórax, com creptos em bases, edema em extremidades (++/++++) e sinal de Pemberton positivo. Solicitados exames: gasometria arterial revelou alcalose metabólica (pH: 7.54; pCO2: 38.8; pO2: 81.2; SO2: 97.2; HCO3: 33.5; BE: 10.8; PO2/FiO2: 386.8), ecocardiograma transtorácico (aumento biatrial e de câmaras direitas; fração de ejeção 84%), radiografia de tórax (presença de infiltrado pulmonar em hemitórax direito, aumento de área cardíaca e desvio de traqueia para a direita), eletrocardiograma – fibrilação atrial (FA). A ultrassonografia de tireoide demonstrou contornos ligeiramente irregulares e ecotextura difusamente heterogênea, com lobo esquerdo medindo 6,2 x 3,2 x 2,6cm (volume 27,0cm3) e se aprofundando inferiormente em direção ao tórax, configurando bócio mergulhante. Além da presença de nódulo sólido do lado esquerdo medindo 0,9 x 0,7cm. Com isso, constatou-se ICC estágio C, FA crônica e BM ocasionando sintomas compressivos. Recebeu tratamento através da compensação cardíaca e anticoagulação plena. Em relação ao BM, optou-se por conduta expectante, considerando-se o notável risco cirúrgico da paciente, contraindicando a tireoidectomia total.

Conclusões/Considerações finais

O BM possui desenvolvimento lento e silencioso, apresentando sintomas quando em estágio avançado, o qual pode mimetizar outras doenças. O tratamento cirúrgico nem sempre é indicado, embora seja a forma mais eficaz de erradicar o bócio, pois se deve avaliar os riscos e benefícios para cada indivíduo.

Palavras Chaves

bócio mergulhante, dispneia, insuficiência cardíaca congestiva

Área

Clínica Médica

Instituições

Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba - Paraiba - Brasil

Autores

Lucas Barbosa Sousa de Lucena, Kelton Dantas Pereira, Hugo Leonardo Alves da Silva, Aline Dantas de Sá, Lucas de Paulo Araújo de Almeida

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017