Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FRATURA ATÍPICA DE FÊMUR ASSOCIADA AO USO CRÔNICO DE BISFOSFONATOS EM USUÁRIOS CADASTRADOS EM UM CENTRO DE ESPECIALIDADES MÉDICAS DE ARACAJU-SE

Fundamentação/Introdução

Introdução: A osteoporose é uma doença sistêmica, caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura deste tecido, como consequência há aumento da fragilidade óssea e da suscetibilidade a fraturas. O diagnóstico se dá pela comparação da densidade mineral óssea (DMO) do paciente com a média da população adulta jovem normal, para o mesmo sexo e raça. O tratamento objetiva reduzir a perda mineral óssea através de mudança nos hábitos de vida e terapia medicamentosa, que tem como medicação de primeira linha os bisfosfonatos que reduzem a função dos osteoclastos. A perda da atividade osteoclástica altera o equilíbrio entre as células de formação e de reabsorção óssea, suprimindo a remodelação. Este efeito antirremodelante se correlaciona a fraturas femorais atípicas (FFA), caracterizadas por se localizarem na diáfise femoral,transversas ou oblíquas, e com nenhum trauma ou microtraumas prévios.

Objetivos

Objetivos: Avaliar a prevalência de fraturas atípicas de fêmur em pacientes em uso crônico de bisfosfonatos.

Delineamento/Métodos

Métodos: Estudo observacional, analítico, transversal, comparativo, realizado com os pacientes que adquirem bisfosfonato em um centro de especialidades médicas de Aracaju. Amostra do tipo conveniência, composta por dois grupos de pacientes, ambos com diagnóstico de osteoporose. Um grupo formado por 20 usuários crônicos e outro por 20 usuários não crônicos. Os pacientes foram contactados e, convidados a participar do estudo, o qual aborda sintomas, fatores de risco para fratura osteoporótica, presença fratura atípica femoral.

Resultados

Resultados: A amostra, composta por 40 pacientes do sexo feminino, dividida em dois grupos, apresentou média de idade no grupo crônico de 72,00 ± 8,86 e no não crônico de 66,45, ± 9,87, o tipo de bisfosfonato mais usado foi o alendronado, (82,5% do total), apenas 15% não fazem uso de suplementação com cálcio e/ou vitamina D. Quanto a dor em coxa, 60% das usuárias referem, sendo de maior relevância entre as usuárias crônicas (75%), enquanto que apenas 25% das usuárias não crônicas referem dor. As FFA tiveram uma incidência de 10% na amostra total, não havendo variação significante na análise entre os grupos, assim como as demais variáveis analisadas.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões: A ocorrência de fraturas atípicas é rara, a incidência encontrada neste estudo condiz com a descrita na literatura, o tempo de uso associado à fratura não apresentou relevância. Enfatiza-se a necessidade de novos estudos que caracterizem melhor esta associação.

Palavras Chaves

PALAVRAS – CHAVE: Osteoporose; bisfosfonatos; fratura atípica de fêmur.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Tiradentes - Sergipe - Brasil

Autores

Beatriz Soares Marques de Souza, Denison Santos Silva, Milena Santos Bomfim, Airton Salviano de Sousa Júnior, Bárbara Allana Ferreira Cabral

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017