Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise epidemiológica dos pacientes captados voluntariamente na Campanha Nacional do Diabetes Mellitus, realizada na Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD) em novembro de 2016.

Fundamentação/Introdução

Estima-se que o Diabetes Mellitus (DM) afete cerca de 387mi de pessoas no mundo¹ e 46% destas ainda sem o diagnóstico da doença. Nos estudos analisados identificou-se uma prevalência de DM maior na população feminina. A idade média foi de 63,4 anos. Sendo o DM uma doença de grande importância socioeconômica, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais para uma boa prática de saúde pública do país.

Objetivos

Analisar a prevalência de Pré-Diabetes Mellitus (Pré-DM) e de DM em pacientes sem o diagnóstico prévio da doença em pacientes captados durante a campanha nacional de DM. Analisou-se também a frequência entre os gêneros (homem vs mulher) e a idade média encontrada.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo ecológico que utilizou dados da “Campanha Nacional de Diabetes Mellitus”, realizada na ANAD, no período de 07 a 11 de novembro de 2016, em São Paulo/SP. Utilizamos para a notificação de casos suspeitos de Pré-DM e/ou de DM os valores alterados de glicemia capilar. Os pacientes foram divididos em dois grupos: Grupo 1: pacientes em jejum por mais de quatro horas e Grupo 2: pacientes que não se apresentavam em jejum. Dentre os grupos, subdividimos o Grupo 1 em Glicemia de Jejum (Gj) até 99mg/dL, Gj de 100 a 126mg/dL, Gj de 126 a 180mg/dL e Gj maior ou igual a 180mg/dL. O Grupo 2 foi subdividido em Glicemia pós prandial (Gpp) até 140mg/dL, Gpp de 140 a 180 mg/dL e Gpp maior ou igual a 180mg/dL. Para as análises estatísticas utilizados o teste Two-way ANOVA e t-students, ambos considerando p valor=0,05.

Resultados

Verificou-se 181 pacientes com alteração da glicemia capilar, destes, 42 pacientes (23%) sem o diagnóstico prévio de Pré/DM ou DM. Sendo, 26 homens e 16 mulheres. Não houve significância estatística entre os gêneros, para o diagnóstico de Pré-DM ou DM (p=0,50 e p=0,20, respectivamente). A idade média no diagnóstico foi de 54 anos.

Conclusões/Considerações finais

A campanha pré-diagnosticou 42 pessoas, ou seja, 23% com alteração glicêmica e sem o diagnóstico prévio de DM. Contrariando os demais estudos já realizados, na população analisada a idade média foi menor que o esperado (< 9,6 anos) e verificou-se um número maior de homens com hiperglicemia (56%), porém, não houve relevância estatística entre os gêneros. Todos pacientes foram instruídos a manter dieta balanceada, atividade física e a procurar atendimento médico especializado. Mais que o diagnóstico, a importância da campanha está na orientação e na conscientização da população em se manter um estilo de vida saudável e seguimento ambulatorial constante.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Autores

Tatiana Siqueira Capucci, Mariana Accioly Carrazedo, Lais Oiveira Hernandes, Fadlo F Fraige


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017