Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

As construções e vivências de cuidadoras/es em saúde: interstícios cartográficos entre o campo da saúde pública e os marcadores sociais das diferenças

Fundamentação/Introdução

Com uma população de idosos estimada em 6,9% e com previsão de elevação progressiva dessa parcela, fruto do aumento da expectativa de vida, a necessidade de cuidados voltados para a 3ª idade tem se tornado um desafio que envolve o trabalho dos cuidadores, que lidam com situações de restrição de mobilidade e usuários acamados, o que se reflete num conjunto de preocupações na Rede de Atenção Domiciliar.

Objetivos

Cartografar as construções de cuidadoras/es nos territórios de produção do cuidado em saúde tomando como pressupostos o campo da macropolítica (política pública) quanto o campo da micropolítica ( vivências) cotidianas de cuidadoras/es transversalizadas pelos marcadores sociais da diferença como: sexo, gênero, étnico/racial, geracional, social e econômico.

Delineamento/Métodos

Trata-se de estudo retrospectivo de abordagem quantitativa/qualitativa com o uso dos seguintes dispositivos de coleta de dados: a cartografia com a identificação e reconhecimento da situação de usuárias/os restritos e acamados; fontes documentais dos prontuário dos 43 cuidadores da área supra-citada; caso-traçador caracterizado por usuários e como se valem das redes de serviços de saúde para o atendimento às suas necessidades; e entrevistas feitas em visitas domiciliares com roteiros semi-estruturados dos cuidadores, tomados na forma de narrativa.

Resultados

O estudo demonstrou que os cuidadores são do sexo feminino (95,3%), com idade entre 40 e 50 anos (83,7%), de etnia parda (65,1%), oriundos de família de baixa renda (88,4%), de baixa escolaridade (86,4%), e em sua maioria, parentes em 1º grau dos acamados (93,0%). A maior parte (88,4%) tem na Estratégia de Saúde de Família do Campo do Oeste seu ponto de referência para demandas básicas de saúde, de onde recorrem a encaminhamentos para serviços ambulatoriais. Em casos emergenciais, ao Hospital Público de Macaé. Os relatos dos cuidadores dão conta da falta de diálogo entre eles e seus saberes e a equipe multiprofissional que acompanha o acamado, além de falta de capacitação, e de um programa voltado para a saúde mental dessa clientela. Para os gestores, quando bem envolvidas nesses anseios, essas estratégias produzem um cuidado de maior qualidade

Conclusões/Considerações finais

Esses resultados indicam a necessidade de uma política de intercessão no diálogo permeado no cuidado, formação e acompanhamentos adequados, promovida entre os diversos agentes no campo da saúde, em especial o cuidador, capaz de transformar a produção de ações que orientem um trabalho com um resultado diferenciado.

Palavras Chaves

cuidador; saúde pública; perfil de clientela

Área

Clínica Médica

Instituições

UFRJ - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

ALEX UEMBLEI FERREIRA SANTOS, FÁTIMA LIMA

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017