Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO HEMORRÁGICO COMO APRESENTAÇÃO INICIAL DE LEUCEMIA PROMIELOCÍTICA AGUDA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A leucemia promielocítica aguda (LPA) tornou-se a forma mais curável de leucemia mielóide aguda após o advento do ácido trans retinóico. No entanto, as mortes prematuras pela coagulopatia associada à doença estão relacionadas com falha no tratamento e ocorrem dentro dos 30 primeiros dias após o diagnóstico.

Objetivos

Relatar um caso de LPA de alta agressividade, com rápida evolução a óbito; chamar atenção para a Doença Cerebrovascular como apresentação inicial de LPA e da importância de um diagnóstico precoce dessa condição.

Delineamento/Métodos

Foi realizado estudo do caso por meio de revisão de prontuário eletrônico.

Resultados

Paciente masculino, 13 anos, evoluiu com quadro de cefaleia súbita intensa, foi levado a Unidade de Pronto Atendimento, sendo medicado com sintomáticos e liberado. Após 3 dias a cefaleia voltou associada a perda da visão bilateral. Foi encaminhado ao hospital, avaliado pela equipe da neurologia e submetido a tomografia computadorizada que evidenciou hemorragia intraparenquimatosa. Foi transferido para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sonolento, escala de coma de Glasgow (ECG) 10, hemiplegia à direita, hemorragia gengival, equimoses espontâneas em coxa direita e joelho esquerdo, hepatomegalia de 4 cm, adenomegalia cervical de 1,5 cm. O hemograma realizado evidenciou 5.8 g/dL de hemoglobina (Hb), 16.7% de hematócrito (Ht), 23 mil plaquetas/mm3 e 246.350 leucócitos/mm3 (93% blastos). DHL de 2199,6 U/L. Com hipótese de LPA o paciente foi transferido, no dia seguinte, para serviço de oncohematologia e UTI, sendo iniciado de imediato o ácido transretinoico e dexametasona. Chegou ao serviço com piora do estado geral, torporoso, ECG 7. Para confirmação do diagnóstico, foram realizados imunofenotipagem, mielograma (95% de blastos) e citogenética, com resultados compatíveis com LPA. Novo hemograma apresentou 501.000 leucócitos/mm3 (100% blastos), Hb de 9,7g/dL, Ht de 18.4%, 24 mil plaquetas/mm3 e DHL de 3891 U/l. O paciente evoluiu com morte encefálica e óbito em 3 dias após admissão.

Conclusões/Considerações finais

A hemorragia grave está associada a falha do tratamento e alta taxa de mortalidade, conforme relatado em estudos populacionais em países desenvolvidos. O presente caso exemplifica uma morte precoce, 4 dias após o diagnóstico. A terapia adequada foi realizada, no entanto a doença teve caráter muito agressivo. É necessário chamar atenção para educação dos médicos no reconhecimento rápido da doença e encaminhamento precoce para centros hematológicos especializados.

Palavras Chaves

Hemorragia cerebral. Leucemia Promielocítica Aguda. Diagnóstico Precoce.

Área

Clínica Médica

Instituições

Centro Universitário CESMAC - Alagoas - Brasil, Centro Universitário Tiradentes (UNIT) - Alagoas - Brasil, Universidade Federal de Alagoas (UFAL) - Alagoas - Brasil

Autores

Marcella de Albuquerque Wanderley, Luís Henrique Lemos Fontes Silva Costa, Beatriz Albuquerque Oliveira, Manoel Correia de Araújo Sobrinho, Rosana Brandão Vilela


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017