Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EPIDEMIOLOGIA: OCORRÊNCIA DE ÓBITOS POR DOENÇAS DO APARELHO CIRCULATÓRIO NO ESTADO DO TOCANTINS

Fundamentação/Introdução

Fundamentação/Introdução: As Doenças do Aparelho Circulatório (DAC) são as principais causas de óbitos em todo o mundo, independentemente do nível de renda dos países. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares sãs as principais causas de morte, representando, aproximadamente, três em cada dez óbitos.

Objetivos

Objetivos: Analisar o número de óbitos por doenças do aparelho circulatório no estado do Tocantins.

Delineamento/Métodos

Delineamento e Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, onde os dados foram coletados no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), a partir do Sistema de Informações Hospitalares (SIH/SUS). Foram incluídos no estudo os óbitos ocasionados por doenças do aparelho circulatório entre janeiro de 2012 e dezembro de 2016. Analisou-se variáveis como raça/cor, sexo, faixa etária e as taxas de mortalidade para os anos considerados. No processamento dos dados, utilizou-se o software Microsoft Excel 2017 para a elaboração dos gráficos e tabelas. Com o auxílio do software IBM SPSS Statistics, realizou-se o teste do qui quadrado para comparar a relação da variável sexo e ocorrência do óbito.

Resultados

Resultados: No período considerado, o estado do Tocantins apresentou um total de 2.922 óbitos, com destaque para Araguaína com 833 óbitos e Palmas com 357. Destes, 1570 óbitos (53,73%) foram do sexo masculino e 1352 (46,27%) do sexo feminino. Em relação à raça/cor, destaca-se a parda com um total de 1919 óbitos (65,67%), seguida pela branca, com 138 (4,72%). A faixa etária acima de 80 anos teve o maior número de óbitos, com 849 (29%), seguida pela faixa de 70-79 anos, que registrou 765 (26,2%). Destaca-se uma redução gradual do número de óbitos de 2012 (637 óbitos) a 2015 (503 óbitos), seguindo por um pequeno aumento no ano de 2016 (532 óbitos). Os valores do qui quadrado para todos os anos resultaram num valor de p<0,95 (sem significância), ou seja, não há dependência entre o sexo dos indivíduos internados com doenças do aparelho respiratório e a ocorrência do óbito.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões/Considerações finais: De forma geral, observou-se uma redução na ocorrência de óbitos por DAC no estado. Contudo, apesar dessa redução, ainda temos taxas elevadas de morte por essas doenças. São primordiais, portanto, a intensificação do controle dos fatores de risco e do maior acesso da população aos serviços de saúde.

Palavras Chaves

Palavras-chave: Epidemiologia, Doenças cardiovasculares, Óbitos

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal do Tocantins - Tocantins - Brasil

Autores

Renan Miranda Santana, Jonathas Santos Oliveira, Arthur Moreira Gomes, Tarciso Liberte Romao Borges Junior, Virgilio Ribeiro Guedes

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017