Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação de Hiperparatireoidismo primário e secundário

Fundamentação/Introdução

Hiperparatireoidismo primário(HPTP) é um distúrbio que resulta da hipersecreção de paratormônio, mais freqüente entre 40 e 65 anos e adenomas solitários são responsáveis por cerca de 90% dos casos. O tratamento definitivo consiste na paratireoidectomia. Para nosso paciente foi feita opção cirúrgica devido aumento do cálcio sérico associado à densidade mineral óssea em coluna lombar Z score -3,9 e quadro clínico acima descrito. HPTP conduzido de forma cirúrgica deve ter um acompanhamento pós operatório rigoroso, com vigilância de paratormônio, cálcio e vitamina D. Nosso paciente evoluiu com hiperparatireoidismo normocalcêmico pós cirúrgico sugerindo causa secundária para manutenção dos níveis elevados de paratormônio; a hipovitaminose D foi constatada e a terapia com altos níveis de colecalciferol resultou no controle do hiperparatireoidismo.

Objetivos

Descrever um caso de hiperparatiroidismo primário com características clínicas, laboratoriais e imagem típica de adenoma de paratireóide submetido à procedimento cirúrgico com manutenção de altos níveis de paratormônio secundário à deficiência de vitamina D.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo observacional do tipo relato de caso, desenvolvido a partir da observação clínica e revisão de prontuário.

Resultados

Paciente do gênero masculino, 41 anos apresentando quadro de mialgia e fraqueza muscular há 03 anos com piora associado à aumento das concentrações de paratormônio(300pg/mL) e cálcio com presença de nódulo hipercaptante constatado por Cintilografia de paratireóides com SESTAMIBI-99mTc. Realizada paratiroidectomia com diagnóstico histopatológico de Adenoma de Paratireóide. Evolução pós operatório com diminuição do níveis de paratormônio(99pg/mL) e normalização dos níveis de cálcio. Seguida investigação, foi constatado 25OH vitamina D deficiente (14ng/mL) sugerindo hiperparatireoidismo secundário; prescrito reposição de colecalciferol 50000UI/semana por 8 semanas com normalização dos níveis de paratormônio e 25OH vitamina D confirmando o diagnóstico de hiperparatireoidismo secundário.

Conclusões/Considerações finais

Este caso nos reforçou a necessidade da realização da dosagem de vitamina D antes da paratireoidectomia no HPTP já que o uso de suplementos orais com colecalciferol nos casos de deficiência de vitamina D antes da paratireoidectomia evitarão desenvolvimento de hiperparatireoidismo normocalcêmico pós-operatório.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Francielle Santana Santos, Karina Schiavoni Cardoso Reis, Murilo Antunes Cardoso Reis, Thélia Maria Santos Soares

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017