Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Hipertensão arterial sistêmica resistente por hiperaldosteronismo primário: Relato de caso

Fundamentação/Introdução

O hiperaldosteronismo primário (HAP) é um grupo de desordens em que a produção de aldosterona está inapropriadamente elevada, e não pode ser suprimida por sobrecarga salina ou bloqueio do SRAA. Essas doenças são representadas, principalmente, pela hiperplasia bilateral das adrenais (HBA) e pelo adenoma unilateral produtor de aldosterona (APA), mas também podem ser causadas por hiperplasia adrenal unilateral, carcinoma adrenal, tumores extra-adrenais produtores de aldosterona, ou ter origem genética. A prevalência do HAP na população de hipertensos, de modo geral, está em torno de 6,1%, mas pode variar de 3% a 22%, sendo mais alta nos hipertensos em estágio 3 e/ou de difícil controle.

Objetivos

Objetiva-se descrever um caso de hipertensão arterial sistêmica refratária por hiperaldosteronismo primário.

Delineamento/Métodos

Fev/2011:C.A.B, masc., 70 anos, melanodérmico, aposentado, solteiro, católico, natural/residente em Aracaju-SE com HAS resistente ao tratamento há mais de 30 anos, em uso de 6 medicações anti-hipertensivas, apresentando astenia, tontura, câimbras e síncope. Ao ex. fisico: bom estado geral, ativo, fácies atípica, acianótico e anictérico, IMC:29kg/m², circunferência abdominal 100cm, pressão arterial (PA )em MSD: 140x90mmHg, PA MSE 140x80mmHg, PA sentado 140x100mmHg, PA em pé: 140x90mmHg. Em abril/2012 foi interrompido uso de anti-hipertensivos por 15 dias e exames foram solicitados para avaliação de HAS secundária. Aos exames: Aldosterona 27,9 ng/mL, Atividade Renina Plasmatica (ARP)0,77 ng/mL, Rel.Aldost/ARP:42, K:3.2, Aldost. Urinária 3.8ug/24hs, Metanefrinas urinárias:1.03mg/24h, Microalbum.426 mg, Clearance creatinina 60,4 mL/m²/SC, Teste Postural HC - Repouso em decúbito dorsal com ingesta de sódio: Aldost. Basal 28,6ng/mL e 66,2 após 2h, ARP basal 1,3 ng/mL e 1,1 após 2h, Cortisol basal 12ug/mL e 15 após 2h. Aos exames radiológicos, USG Abdomen total: rins policísticos, TC:imagem nodular suprarrenal direita compatível com adenoma - 1,2 cm.

Resultados

Em set/2014, paciente submetida à adrenalectomia laparoscópica da glândula suprarrenal direita. No anátomo-patológico constatou-se fragmento com espessamento nodular do córtex podendo corresponder à hiperplasia ou adenoma do córtex adrenal. Após cirurgia, os exames foram repetidos: Aldosterona 1,8 ng/mL (redução), ARP 1,1 ng/mL, Relação 1,6 (redução), K: 4, Na 145.

Conclusões/Considerações finais

Os resultados do laboratório evidenciam a eficácia do procedimento cirúrgico no controle dos niveis de aldosterona, refletindo redução da necessidade de anti-hipertensivos.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Estadual de Santa Cruz - Bahia - Brasil

Autores

Ana Paula Rodrigues dos Santos, Carlos Alberto Menezes, Jordian Jordian Pinheiro, Gustavo Soares Correia

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017