Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DEGENERAÇÃO COMBINADA SUBAGUDA DA MEDULA ESPINHAL – ASSOCIAÇÃO ENTRE ANEMIA MEGALOBLÁSTICA E VITILIGO

Fundamentação/Introdução

A anemia megaloblástica, associada à hipovitaminose B12, está relacionada à complicações neurológicas graves, como anormalidades sensoriais progressivas, parestesias ascendentes, fraqueza, ataxia, perda de controle esfíncteriano e comprometimento da marcha, neuropatia periférica, perda de memória, déficit cognitivo, neuropatia óptica e lesão combinada subaguda de medula espinhal.
A principal causa de deficiência severa de vitamina B 12 é a deficiência de fator intrínseco devido à gastrite atrófica autoimune; doença tireoidiana, diabetes mellitus tipo 1 e vitiligo também são comumente associadas à anemia perniciosa.

Objetivos

Relatar a associação entre anemia megaloblástica associada a gastrite, vitiligo e degeneração combinada subaguda associados à carência de vitamina B12.

Delineamento/Métodos

homem branco, 54 anos com antecedente depressão, dispepsia tratada com omeprazol com queixa de fraqueza e parestesia em membros inferiores há 6 meses evoluiu com paraplegia crural após 4 meses do início dos sintomas. Exame físico e neurológico: Mucosas descoradas, língua lisa e despapilada, alterações cutâneas compatíveis com vitiligo, paraplegia crural flácida (nível de sensibilidade T10). Exames complementares: Hb 4.5; VCM 118, vitamina B12< 83; Função tireoidiana e sorologias para hepatite B, C, HIV, VDRL e HTLV negativos. Presença de infecção urinária por Klebisiella sp sensível a piperacilina-tazobactan. Endoscopia digestiva alta evidenciou monilíase esofágica, atrofia de mucosa de corpo e fundo gástrico, gastrite enantematosa leve em antro com áreas de metaplasia intestinal em corpo gástrico e H. Pylori negativo.
RNM de encéfalo e coluna torácica com hipersinal em T2/FLAIR nos tratos cortico-espinais bilaterais e em substância branca periventricular e funículos dorsais da medula.

Resultados

Realizada reposição parenteral com cianocobalamina 5000UI/ dia por 7 dias e dose semana após normalização dos níveis séricos de vitamina B12. Paciente evolui com melhora neurológica e cognitiva apesar de pouca melhora da motricidade e sensibilidade crural.

Conclusões/Considerações finais

Anemia megaloblástica, tambem assocada à doenças auto-imunes como vitiligo está relacionada à lesões neurológicas graves e irreversíveis quando não tratadas a tempo. Diagnóstico e tratamento precoce são essencias para minimizar efeitos neurológicos deletérios associados à carência de vitamina B12.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Guilherme Álvaro - Sao Paulo - Brasil

Autores

Beatriz Alvarenga Gonzales, Bianca Gazolla Mendonça, Maria Fernanda Melega Mingossi

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017