Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Doença de Still no adulto: relato de caso

Fundamentação/Introdução

A doença de Still do adulto é uma patologia inflamatória sistêmica rara, com apresentação clínica heterogênea. Caracterizada por um quadro importante de sintomas constitucionais e poliartrite, podendo ser um episódio único ou recorrente. Não existem exames diagnósticos, nem achado histopatológico patognomônico, sendo, um diagnóstico de exclusão.

Objetivos

Descrever as manifestações clinicas e laboratoriais de uma paciente jovem com quadro de febre de origem indeterminada associada a poliartralgia que culminou no diagnostico de Doença de Still.

Delineamento/Métodos

T.N.M., 20 anos, sexo feminino, procurou atendimento hospitalar pois refere que há 4 semanas, percebeu aparecimento de pápulas pruriginosas e confluentes em ambas as coxas com piora no período noturno e remissão completa pela manhã. Há duas semanas apresenta febre aferida de até 39,9°C com melhora parcial ao uso de antitérmico, associada à artralgia generalizada e odinofagia com melhora progressiva. Fez uso de oseltamivir e levofloxacino no período. Não faz uso de medicações continuas, período menstrual sem alterações.

Resultados

Ao exame físico: hidratada, hipocorada, eupneica, pressão arterial 120x80 mmHg, taquicárdica, ausculta cardíaca, respiratória e abdominal sem alterações. Presença de discretas pápulas em faces laterais de coxa.
Laboratorialmente apresentava anemia normocitica, leucocitose com neutrofilia, hiperferritinemia, fator reumatoide, anti DNA nativo, Fator antinuclear negativos, além das demais sorologias negativas.
Foram realizados exames de imagem – tomografia computadorizada de tórax e abdome e ultrassonografia de abdome e transesofágica – além de parcial de urina e urocultura, porém todos sem alterações.
Permaneceu em ambiente hospitalar por cinco dias, sendo realizado antibioticoterapia com amoxicilina+clavulanato, porém com pouca melhora.
Foi realizado analgesia com antiinflamatórios não esteroidais e, então, associado a corticoide em baixa dose (prednisona 30mg/dia), com melhora do quadro.
No retorno ambulatorial, manteve quadro de febre diária (37,5°C) e presença de derrame articular em ambos os punhos, sendo associado metotrexato e posteriormente leflunomida para iniciar diminuição da dose de corticoide.

Conclusões/Considerações finais

A doença de Still do adulto deve ser sempre considerada em pacientes com envolvimento sistêmico e poliartrite, após exclusão de outras doenças, especialmente infecciosas e neoplásicas. O curso da doença é geralmente crônico porém com bom prognóstico após controle com a medicação imunossupressora.

Palavras Chaves

doença de Still, manifestações clinicas, diagnóstico, tratamento

Área

Clínica Médica

Autores

gabriela nardina finger, thiago simões giancursi, ana paula adame, mariana comiran belim, willian rodrigo feistler

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017