Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

GLOMERULONEFRITE POR VASCULITE ANCA POSITIVO EM PACIENTE INTOLERANTE A AZATIOPRINA

Fundamentação/Introdução

As vasculites compreendem um grupo heterogêneo de desordens autoimunes, de origem primária ou secundária. As vasculites podem acometer diversos órgãos, sendo a glomerulonefrite, uma importante manifestação clínica. As atuais classificações patológicas das vasculites que normalmente acometem o glomérulo incluem a poliangeíte microscópica, granulomatose com poliangeíte (Wegener) e a granulomatose eosinofílica. Todas essas tem em comum, o anticorpo ANCA positivo.

Objetivos

Relatar a evolução clínica de um paciente que desenvolveu glomerulonefrite à partir de uma vasculite ANCA positivo.

Delineamento/Métodos

Homem, 73 anos, branco, realiza acompanhamento ambulatorial para investigação de proteinúria e hematúria microscópica. Após investigação da síndrome nefrítica foi indicado à realização de biópsia renal para identificação da etiologia, que evidenciou uma glomerulonefrite crescêntica. Após dosagem do C-ANCA (1:20), o diagnóstico fechado foi de glomerulonefrite crescêntica gerada por uma vasculite ANCA positivo. Iniciado pulsoterapia a base de corticosteroides por três dias. Recebeu alta hospitalar com prescrição do uso de prednisona. Após 15 dias do início do tratamento foi prescrito o uso de azatioprina. Entretanto, após o terceiro dia de uso da azatioprina, paciente teve quadro de cefaleia holocraniana, precordialgia e lesões cutâneas pruriginosas, necessitando a substituição da azatioprina por micofenolato mofetil. Paciente possuia histórico de lesões cutâneas, compatíveis com carcinoma basocelular, que se intensificaram nos primeiros meses após o início da imunossupressão. Contudo, não foi recomendada a suspensão do imunossupressor devido ao grande risco de recidiva da síndrome nefrítica.

Resultados

Retorna após um ano do início do uso do micofenolato mofetil, negando recidivas da síndrome nefrítica e apresentando provas inflamatórias negativas.

Conclusões/Considerações finais

Apesar das características histológicas semelhantes, na glomerulonefrite gerada por uma vasculite ANCA positivo pode haver manifestações clínicas de intensidades variadas dependendo da deposição de imunocomplexos nos glomérulos renais. Os corticosteroides são as drogas de escolha para o tratamento. A azatioprina foi escolhida para a fase de manutenção, porém, os efeitos tóxicos causados por uma provável deficiência da enzima tiopurina metiltransferase forçou a substituição por micofenolato mofetil.

Palavras Chaves

Glomerulonefrite, ANCA, Azatioprina, Micofenolato.

Área

Clínica Médica

Instituições

UNOESTE - Sao Paulo - Brasil

Autores

Rafael de Oliveira Pena Neto, André Mio Takayama, Larissa Rezende Tiberto, Letícia Moraes Lira, Milene Tieno Sakata Vasconcellos

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017