Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Feocromocitoma como síndrome coronariana aguda

Fundamentação/Introdução

Feocromocitomas são tumores neuroendócrinos capazes de secretar catecolaminas. Esses tumores são de significativa importância apesar de serem responsáveis por somente 0,2 a 0,6% dos casos de hipertensão, pois apresentam grande morbimortalidade se não apropriadamente diagnosticados e apropriadamente tratados.

Objetivos

Relatar o caso de um paciente com feocromocitomia, por vezes diagnosticado como síndrome coronariana aguda.

Delineamento/Métodos

Paciente do sexo masculino, 54 anos, procurou nosso hospital por queixas intermitentes de dor torácica em aperto, com duração de poucos minutos, não desencadeadas por esforço físico. Sintomas se iniciaram há 4 meses com piora gradativa nos últimos 30 dias. Procurou atendimento médico diversas vezes, porém era dispensado após marcadores de necrose do miocárdio e eletrocardiogramas não mostrarem alterações. Eventualmente também apresenta vaquadros intermitentes de dor abdominal em aperto e cefaleia. Referia perda de peso de 5kg em 15 dias. Durante a internação para investigação do quadro, paciente apresentou picos de hipertensão e cefaleia, tendo sido aventada a hipótese de feocromocitoma. Diagnóstico posteriormente confirmado pela dosagem de metanefrinas urinárias em 24h e pelo achado de massa em região adrenal à esquerda. Iniciado bloqueio alfa-adrenérgico com melhora importante dos sintomas. Posteriormente iniciado bloqueio beta-adrenérgico e bloqueadores de canal de cálcio. Após bloqueio farmacológico por duas semanas, paciente foi submetido à ressecção cirúrgica do tumor, sem intercorrências durante a cirurgia e no pós-operatório. Após alta hospitalar paciente evoluiu com controle da pressão arterial, não apresentando novos episódios de dor torácica em avaliações ambulatoriais.

Resultados

Aproximadamente 85% dos casos tem sua origem na medula adrenal enquanto restante se originam nos gânglios neurais autonômicos extra-adrenais, sendo conhecidos como paragangliomas. É uma doença que apresenta uma quantidade grande de sintomas, entre cefaleia episódica, sudorese e taquicardia. O diagnóstico da doença é feito a partir da confirmação bioquímica de hipersecreção de catecolaminas, seguido da identificação do tumor com exames de imagens. A partir do momento em que se tem o diagnóstico o paciente deve ser submetido a uma ressecção do feocromocitoma após preparação médica adequada.

Conclusões/Considerações finais

O feocromocitoma acarreta uma ampla gama de sintomas, podendo mimetizar diferentes doenças. Seu reconhecimento e diagnóstico são essenciais, pois há tratamento cirúrgico curativo.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Santa Isabel - Santa Catarina - Brasil

Autores

Mauricio Felippi Sa Marchi, Eduarda Raquel Przygoda Alves, Ana Paula Schramm Caetano, Graziela Peluso Alba, Rodrigo Duarte Perez

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017