Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CASOS DE SÍFILIS EM GESTANTE E SUA DISTRIBUIÇÃO PERCENTUAL NA REGIÃO NORTE DO BRASIL DE 2010 A 2015

Fundamentação/Introdução

Fundamentação/Introdução: A sífilis é uma infecção sistêmica sexualmente transmissível, causada pela bactéria Treponema pallidum, que, se não tratada, pode evoluir para cronicidade e desenvolvimento de sequelas. A transmissão, além de por via sexual, pode ser vertical, causando a sífilis congênita, responsável por altas taxas de morbimortalidade, levando a abortamentos, óbito fetal, morte neonatal. De 2005 a 2014, no Brasil, foram notificados 100.790 casos de sífilis em gestantes, e os números vêm aumentando a cada ano.

Objetivos

Objetivos: Quantificar o número de casos de sífilis gestacional e a distribuição percentual de 2010 a 2015, por grupos etários na região Norte do Brasil.

Delineamento/Métodos

Delineamento/Métodos: Estudo quantitativo, analítico, observacional, retrospectivo. Foi realizado com dados sobre sífilis gestacional, referentes ao período de 2010 a 2015, obtidos do Departamento de vigilância, prevenção e controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites virais, do boletim epidemiológico de sífilis-2016 (http://indicadoressifilis.aids.gov.br/)

Resultados

Resultados: A análise dos grupos etários na região norte, demonstra a presença de sífilis em gestantes de 10 a 14 anos, e um aumento de 100% em 2015, em relação a 2010 neste grupo. O grupo com maior número de casos em todos os anos, é o de 20 a 29 anos, grupo em que se encontram a maioria das mulheres em idade fértil. Além disso, esse grupo teve um aumento de 120% em 2015, se comparado a 2010. A distribuição percentual se manteve semelhante no decorrer dos anos mostrando que o aumento do número de casos parece ter as mesmas causas associadas. No Brasil, em 2010, eram 10.629 casos de sífilis em gestantes e em 2015, esse número subiu para 33.381. Na região norte, o aumento foi proporcionalmente semelhante, com 1.433 casos em 2010, que correspondem a 13,5% dos casos nacionais e, 3.518 em 2015, 10,5% dos casos nacionais neste ano.

Conclusões/Considerações finais

Conclusões/Considerações finais: A Região Norte é uma região que contribuiu bastante com o aumento dos casos de sífilis gestacional nos últimos 5 anos no Brasil, e refletiu de maneira semelhante a modificação do número de casos nacional. Relação sexual desprotegida, comportamento sexual de risco, tratamento tardio, ineficaz ou negligenciado e o não tratamento dos parceiros continuam sendo os fatores que mais contribuíram para o aumento do número de casos de sífilis em gestantes.

Palavras Chaves

Palavras chaves: Sífilis em gestante; Região Norte; Boletim epidemiológico

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal do Amapá - Amapa - Brasil

Autores

Vanessa Moita Azevedo, Amanda Alves Fecury, Felipe Noujeimi Gonçalves, Marcela da Silva Costa, Marcus Willian Braga Abreu

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017