Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação de hiperparatireoidismo e paraproteinemia em paciente com artrite reumatoide. Relato de Caso.

Fundamentação/Introdução

A artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica auto-imune caracterizada por comprometimento de articulações sinoviais como também manifestações sistêmicas extra-articulares e presença de comorbidades como amiloidose secundária e linfoma. Estudos sugerem que a presença de paraproteinemias está discretamente aumentada na AR, especialmente nos casos severos e de longa duração. A associação de AR e hiperparatireoidismo não é comum, havendo poucos casos relatados na literatura, porém a associação deste com gamopatia monoclonal tem sido descrita em 10% dos casos.

Objetivos

Relatar caso clínico raro de associação entre artrite reumatoide, hiperparatireoidismo e gamopatia monoclonal.

Delineamento/Métodos

Relato de Caso

Resultados

Paciente do sexo feminino, 56 anos, há 11 anos iniciou quadro clínico de poliartrite de pequenas articulações de mãos associado a fator reumatoide positivo, preenchendo os critérios de classificação para artrite reumatoide de 2010. Durante acompanhamento, apesar da melhora parcial do quadro articular com metotrexato e antagonista do fator de necrose tumoral, a paciente mantinha queixa de mialgia. Há 6 anos, apresentou dor súbita em articulação coxofemoral direita. Exames de imagem mostraram lesões ósseas de aspecto lítico comprometendo, ipsilateralmente, acetábulo e sacro à direita. Uma imunofixação sérica evidenciou a presença de cadeia leve de imunoglobulina monocloconal IgG/Kappa, e uma dosagem de paratormônio (PTH) elevado: 144,9 picogramas/mililitro. Uma cintilografia com tecnécio-99m-metoxiisobutil isonitrila mostrou imagem sugestiva de adenoma de paratireoide. Por outro lado, aspirado e biópsia de medula óssea foram negativos para neoplasias hematológicas e amiloidose. Após paratireoidectomia parcial, houve normalização dos níveis de cálcio sérico e do PTH, mas persistência do quadro de poliartrite.

Conclusões/Considerações finais

Fica estabelecida a importância de diferenciar sinais e sintomas clássicos da AR das manifestações reumatológicas do hiperparatireoidismo e atentar para o risco de neoplasias hematológicas nos pacientes com AR associado a presença de paraproteinemia monoclonal. A associação entre artrite reumatoide, hiperparatireoidismo primário e gamopatia monoclonal é rara, sendo necessários mais estudos para determinar se esta é uma associação fortuita ou se há uma correlação de causa e efeito entre essas três patologias.

Palavras Chaves

Artrite Reumatoide; Hiperparatireoidismo; Paraproteinemia

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal da Grande Dourados - Mato Grosso do Sul - Brasil

Autores

João Pedro Izidoro Gomes, Marcela Vasco Travassos, Amanda Pereira Rodrigues Costa, Vinicius Lustosa de Araújo Rodrigues, Marcia Midori Shinzato

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017