Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DOENÇA DE WILSON - RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A doença de Wilson é um distúrbio herdado em caráter autossômico recessivo em que ocorre um defeito enzimático que leva ao acúmulo de cobre no organismo, principalmente no fígado, cérebro, rim e córnea. É uma enfermidade rara, caracterizada por alterações cerebrais degenerativas, principalmente nos gânglios da base, e cirrose hepática.

Objetivos

Descrever o caso de um paciente portador de enfermidade de Wilson, em que se obteve dificuldade na elucidação diagnóstica, e evolução desfavorável.

Delineamento/Métodos

(Em resultados)

Resultados

Paciente 19 anos, masculino, branco, proveniente de Gonçalves Dias - MA. Mãe relata que paciente aos 16 anos de idade apresentou um episódio de vômito associado à icterícia, febre intermitente por 4 dias, acompanhado de perda de peso, de aproximadamente 3kg, astenia e anorexia. Foi levantada hipótese diagnóstica de hepatite viral. Paciente encontrava-se sem cartão de vacina, porém mãe relatou que o mesmo teve hepatite A e catapora na infância. Negou doenças pregressas como calazar e patologias de vias biliares. Após 2 semanas evoluiu com febre alta (39°C) e sudorese intensa. Paciente internou com suspeita de calazar. O mesmo foi descartado após realização de sorologia. Recebeu alta e seis meses depois a mãe percebe mudança de comportamento do paciente, apresentando-se depressivo, com agitação psicomotora e agressividade. Procurou atendimento médico e iniciou uso de antidepressivos, sem melhora. Buscou atendimento especializado o qual foi levantada hipótese de fibrose hepática congênita. Foi evoluindo com agressividade, movimentos involuntários e espasmos musculares. Após 01 ano do inicio do quadro clínico, paciente apresentava-se com disfasia e deambulava com dificuldade. Foi realizada dosagem de Ceruloplasmina, EAS, Tomografia de Crânio e exame oftalmológico, o qual foi confirmado à doença de Wilson. Paciente iniciou tratamento com Penicilamina; passou 7 meses em uso e não houve melhora. A medicação foi mudada para Zinco 200, que estabilizou a doença. Atualmente com 20 anos, paciente encontra-se em cadeira de rodas, não fala, tem dificuldade em deglutir e apresenta a perna esquerda com deformidade óssea. Faz uso de Zinco 200, Diazepam, Quetiapina, Risperidon, Rivotril e tem dieta restrita para alimentos com Cobre.

Conclusões/Considerações finais

A Doença de Wilson, ou doença hepatolenticular, é uma patologia que possui evolução grave em casos de abordagem terapêutica tardia, devido a sequelas neurológicas permanentes. É uma enfermidade rara e de difícil suspeita diagnóstica.

Palavras Chaves

Icterícia. Wilson. Hepatolenticular.

Área

Clínica Médica

Instituições

UniBRAS/ITPAC - Tocantins - Brasil

Autores

Arthur Antunes Silva Castro, Juliana Lima Costa, Fiama Viana do Vale, Naualy Cunha Alencar, Jane Augusto Guimarães Gonçalves

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017