Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇÃO DA MORTALIDADE EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA, SEGUNDO ESCORE SOFA.

Fundamentação/Introdução

INTRODUÇÃO: Os preditores de evolução e mortalidade vêm sendo extensamente estudados e aplicados, tanto para definir o melhor gerenciamento de recursos financeiros e alterar a conduta terapêutica, quanto para monitorar o desempenho de uma Unidade de Terapia Intensiva. O SOFA (Sequential Organ Failure Assessment), score inicialmente criado em 1995, trouxe a possibilidade de mensurar a disfunção de órgãos separadamente, assim como notar a eficácia de terapêuticas voltadas para aquele sistema orgânico, além de avaliar individualmente os pacientes, defeito comum aos outros escores produzidos. Com a relação esperada entre morbidade e mortalidade, esse índice foi aplicado com sucesso para previsão de óbito em diversas populações.

Objetivos

OBJETIVOS: Avaliar a relação entre mortalidades de pacientes internos em uma Unidade de Terapia Intensiva, segundo o SOFA.

Delineamento/Métodos

MÉTODOS: Foi realizado um estudo Coorte com 10 pacientes no período de 72h, com idades superiores a 63 anos, portadores de patologias diversas. As variáveis utilizadas foram: SOFA nos dias 1,2 e 3, idade, sexo, patologias (pneumonia ou outras) e mortalidade. Para a análise foi utilizado o teste Exato de Fisher desde que as condições para utilização do teste Qui-quadrado de Pearson. Para verificar o grau de concordância entre a escala SOFA e a ocorrência de óbito foi obtido a curva ROC com área sob a curva e um intervalo de confiança de 95% para a referida área. A margem de erro utilizada para a decisão dos testes estatísticos foi de 5,0%.

Resultados

RESULTADOS: A idade média dos pacientes foi 73,5 +/- 7 anos, dos quais 70% eram homens. O diagnóstico predominante foi de pneumonia (90%). O SOFA foi avaliado em intervalos de 6 a 11 e de 12 a 13 e a mortalidade neles foi de 42,9% e 66,7% (p=1,00) respectivamente. O SOFA em relação aos óbitos apresentou área na curva ROC de 0,640 (95,0%: IC 0,25 a 1,00); relativo a sexo, o SOFA de 6 a 11 esteve presente em 71,% (p=1,00) dos homens e na pneumonia em 60% (p=1,00), nas idades entre 63 e 75 anos este SOFA apareceu em 83% (p=0,50). A mortalidade no sexo masculino foi de 57,1%(p=0.487), para pneumonia 60% (p=1,00) e entre as faixas etárias analisadas 63 a 75 e 76 a 87 foram iguais 50%(p=1,00).

Conclusões/Considerações finais

CONCLUSÕES: No nosso coorte, a mortalidade foi mais comum no SOFA 12 e 13, sexo masculino, diagnósticos de pneumonia e entre os intervalos etários, foram igualmente acometidos, mas todos sem apresentar significado estatístico.

Palavras Chaves

Mortalidade; Prognóstico; Insuficiência de Múltiplos Órgãos


Área

Clínica Médica

Autores

LOUISE LIRA BRONZEADO CAVALCANTI, MARIA CLAUDIA LINS PEREIRA, IGOR SOUZA PESSOA DA COSTA, CAROLINNE RIBEIRO COUTINHO MADRUGA, GEORGE ROBSON IBIAPINA

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017