Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Avaliação da doença periodontal como fator de risco para reestenose de stent coronariano

Fundamentação/Introdução

A reestenose de stent convencional(RSC) é um problema em determinado grupo de pacientes(pct) na cardiologia intervencionista. Identificar fatores de risco(FR) para o desenvolvimento da RSC melhora os resultados a longo prazo e reduz os custos com o tratamento. A RSC ocorre geralmente 6-8 meses após o implante de um stent convencional(SC) e isto pode estar relacionado a técnica de implante, fatores clínicos e da biologia vascular. Pct com doença inflamatória crônicas como a Diabetes Mellitus (DM) mal controlado é um importantes FR para o desenvolvimento de RSC guiando as atuais diretrizes para a utilização dos stents do tipo farmacológico(SF) que aumenta os custos do tratamento da doença arterial coronária(DAC) e o risco de sangramento pela dupla antiagregação prolongada. A doença peirodontal (DP) é um processo inflamatório crônico decorrente do acumulo de biofilme dentário levando a um estado inflamatório crônico sistêmico. Vários estudo tem de monstrado que a DP eleva os marcadores inflamatórios sistêmicos.

Objetivos

Avaliar se a reestenose de stent é mais prevalente em pacientes que apresentam doença periodontal ativa do que pacientes que cuidam bem de sua saúde bucal.

Delineamento/Métodos

Estudo caso controle com pacientes submetidos a cinecoronariografia, de 01/2016 à 06/ 2017, que apresentavam no exame stents convencionais, com e sem reestenose, implantados nos últimos 2 anos. DM descontrolado, implante de SF e ausência de dentes foram excluídos do estudo. Dos 223 pct selecionados apenas 28 pct foram incluídos por não possuírem critérios de exclusão. Todos os pct foram avaliados quanto a presença e grau de DP no serviço de periodontia por examinadores experientes. Analise estatística foi realizada com BioSTAT, utilizamos o teste T de Student e consideramos uma significância estatística com p < 0,05

Resultados

O grupo estudado consiste em 28 participantes, sendo 24 (86%) homens e 4 (14%) mulheres. A média de idade foi de 58,2 ± 8,7 anos. Na amostra deste estudo a DP foi presente em 18 pacientes (64,2%):0,45–0,79, IC95%. A RSC ocorreu em 14(50%):0,32–0,67, IC95%. Houve correlação entre a presença de DP e RSC com significância estatística, p=0,04.

Conclusões/Considerações finais

Neste estudo observamos que a doença periodontal é prevalente na população com DAC estabelecida e existe uma associação entre a doença periodontal e eventos de reestenose de stent convencional.

Palavras Chaves

Doença periodontal Estenose Stent

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Policlin - IPEP - Sao Paulo - Brasil, UNESP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Raphael Kazuo Osugue, Silvio Delfini Guerra, Pedro Augusto Pascoli, Marcos Oliveira das Candeias, João Manoel Theotonio dos Santos, Mauro Pedrini Santamaria, Cassia Fernandes Araújo, Nidia Cristina Castro dos Santos.

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017