Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FATORES ASSOCIADOS AO MAIOR USO DE PSICOATIVOS ENTRE ADULTOS DE 40 ANOS OU MAIS DE MUNICÍPIO DO SUL DO BRASIL, 2015.

Fundamentação/Introdução

A elevada prevalência de fatores de risco para doenças cardiovasculares (FRDC), assim como o uso de psicoativos estão cada vez mais presentes na população adulta e idosa, o que tem acarretado efeitos deletérios sobre a qualidade de vida da mesma.

Objetivos

Estimar a prevalência do uso de drogas psicoativas e fatores associados entre adultos de 40 anos ou mais, no município de Cambé – PR em 2015.

Delineamento/Métodos

Estudo transversal de base populacional com indivíduos com 40 anos ou mais, em Cambé - PR. Realizaram-se entrevistas domiciliares, aferições antropométricas e exames laboratoriais, em 2015. Para a análise estatística foi usado programa EpiInfo® versão 3.5.3. Foram consideradas significativas as associações quando o valor de p<0,05. As medicações psicoativas estão compreendidas entre antiepiléticos, antiparkinsonianos, antipsicóticos, ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos, psicoestimulantes e sedativos. Os indivíduos foram avaliados segundo o sexo, faixa etária (40-49, 50-59, 60-69 e >70 anos) e número de FRDC (0, 1-4 e 5-9). Os FRDC foram classificados conforme recomenda a Sociedade Brasileira de Cardiologia e a Sociedade Brasileira de Diabetes, são eles: hábito de fumar, consumo abusivo de álcool; total inatividade física no tempo livre; sobrepeso e obesidade; baixo consumo de frutas e verduras; diabetes; baixos níveis de lipoproteína colesterol de alta densidade – HDL-C e hipertensão arterial.

Resultados

Foram estudados 881 indivíduos, na maioria mulheres (55,7%, n=491). Cerca de 22,9 % (n=202), dessa população faziam uso de psicoativos. Foi encontrado maior prevalência do uso de psicoativos no sexo feminino com 73,76% (n=149), com relevância estatística (OR = 2,777, IC95% = 1,9616 – 3,4907 e p valor <0,0001). Foi significativa a relação entre faixa etária de 50 a 59 anos com OR=2,5254 (IC95% = 1,7860 – 3,5710 e p valor <0,0001), 37,13% (n=75) dos indivíduos que faziam uso de psicoativos estavam nesse intervalo. Não houve relevância na associação com o número de FRDC, mas a faixa de 1 a 4 fatores, obteve maior prevalência, 52,47% (n=106).

Conclusões/Considerações finais

Pode-se observar uma alta prevalência de uso de psicoativos nessa amostra, se comparados à estudos anteriores relacionados à população em geral. O uso dessas drogas obteve associação entre o sexo feminino, assim como encontrado na literatura, e entre a faixa etária de 50 a 59 anos. Já o maior número FRDC não está associado ao seu uso, fazendo-se necessária a avaliação dos mesmos de maneira individualizada.

Palavras Chaves

psicoativos, idosos, doenças cardiovasculares

Área

Clínica Médica

Autores

Manuel Victor Silva Inácio, Marcos Aparecido Sarria Cabrera, Maira Sayuri Sakay Bortoletto, Maria Cristina Umpierrez Vieira

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017