Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Comparação entre Sibutramina e Topiramato no tratamento da obesidade no período de 3 meses

Fundamentação/Introdução

Tanto a Sibutramina quanto o Topiramato são drogas em pauta e disseminadas no tratamento atual para obesidade. Portanto o presente estudo visa comparar o uso dessas drogas em determinado grupo de pessoas com tempo pré-definido.

Objetivos

Comparar essas duas terapêuticas no tratamento de pacientes com obesidade, índice de massa corpórea (IMC> 30Kg/m2 ), ou sobrepeso (IMC> 25 Kg/m2 com comorbidades) em curta duração, 12 semanas, associados a mudanças no estilo de vida, como dieta hipocalórica e atividade física regular. Observamos perda de peso, decréscimo no índice de massa corporal (IMC) e suas relações com sexo e idade.

Delineamento/Métodos

Em um período de 12 semanas foram avaliados 61 pacientes com obesidade, IMC > 30 kg/m2 ou sobrepeso, IMC> 25 Kg/m2 com comorbidades. Anotamos o peso, sexo, idade e IMC e a cada grupo foi oferecido uma terapêutica (A1 Topiramato 50 mg; A2 Topiramato 100mg; B1 Sibutramina 10 mg). Também foram encaminhados à avaliação nutricional para realizarem dieta hipocalórica e estimulados a prática de atividade física regular. Na semana 12, 59 pacientes retornaram para nova avaliação clinica e coletas de novos resultados de peso e IMC. Todos os casos de utilização do topiramato foram associados a 40 mg de fluoxetina.

Resultados

Os homens tiveram uma perda de peso média de 8,91kg, as mulheres de 3,35kg (p=0,003). No IMC essa queda média para o sexo masculino agora foi de 2,54 Kg/m2 e no feminino de 1,57 Kg/m2( p= 0,102); Analisando a variação da perda de peso médio por droga temos: topiramato 100mg, perda de 6,72Kg (p <0,001); sibutramina 10 mg, 4,02 kg( p< 0,031); Topiramato 50mg, 3,77Kg( p< 0,001). Agora em relação à amostra inteira, tivemos uma perda de peso média de 4,19Kg (p< 0,001);na variação média do IMC no intervalo de tempo, verificamos a seguintes quedas para topiramato de 100mg, sibutramina e topiramato 50mg respectivamente: 3,13Kg/m2 (p=0,028), 1,77Kg/m2 (p<0,001) e 1,31Kg/m2(p<0,001). A queda global do IMC da amostra foi de 1,72 Kg/m2 (p< 0,001).

Conclusões/Considerações finais

O topiramato de 100 mg foi superior a sibutramina de 10mg e ao topiramato de 50mg, tanto na perda de peso médio quanto na redução média do IMC. Já a comparação entre dois últimos, observamos uma nítida superioridade da sibutramina em relação aos 50 mg de topiramato, não só na perda de peso, mas também, na redução do IMC, e todas essas associações com significado estatístico. O sexo masculino superou o sexo feminino na perda de peso e na redução do IMC, mas apenas o primeiro desfecho de significado estatístico.

Palavras Chaves

Obesidade; Topiramato; Sibutramina; Perda de Peso; Índice de Massa Corporal.

Área

Clínica Médica

Autores

HUMBERTO MARIZ MENEZES LOPES, ARNALDO MOREIRA DE OLIVEIRA JUNIOR, GEORGE ROBSON IBIAPINA

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017