Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FEOCROMOCITOMA EM IDADE AVANÇADA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Feocromocitomas são tumores neuroendócrinos produtores de catecolaminas. A apresentação clínica característica são crises hipertensivas paroxísticas. O diagnóstico é realizado pelo quadro clínico; dosagem das catecolaminas e de seus metabólicos no plasma ou na urina e tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O tratamento de escolha é a remoção do feocromocitoma, com uso de bloqueadores alfa-adrenérgicos.

Objetivos

Relatar o caso de uma paciente com quadro de sintomas adrenérgicos e melhora após exérese cirúrgica de feocromocitoma.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo descritivo do tipo Relato de Caso, com informações obtidas por meio de revisão do prontuário, registro fotográfico dos exames de imagem e revisão da literatura.

Resultados

Paciente MJCF, mulher, 77 anos, casada, natural e residente de Belo Horizonte, coronariopata, hipertensa, dislipidêmica e portadora de doença pulmonar obstrutiva crônica, iniciou com crises hipertensivas graves, sensação de desfalecimento e sudorese profusa. Iniciado investigação do quadro, sendo solicitado ultrassonografia do abdome total, evidenciando formação nodular sólida em adrenal direita, conveniente complementação propedêutica. Tomografia do abdome e pelve com presença de nódulos supra-renais bilaterais, de maior volume à direita. Urina de 24 horas apresentou normetanefrinas 722,0 mcg/24 horas, ácido 5 hidroxi indolacético e metanefrinas totais sem alterações. Internada para realização do pré-operatório de exérese de tumor de supra-renal.
Ao exame paciente com bom estado geral, orientada, pele quente e seca, perfusão capilar periférica adequada. Pressão arterial: 160/84 mmHg. Restante do exame físico sem alterações.
Realizada laparoscopia que identificou lesão arredondada com cerca de 5 cm, lateral à glândula adrenal direita. Optado por ressecar lesão, toda a glândula adrenal direita e linfadenectomia retroperitoneal perihilar. Anatomopatológico: múltiplos cortes revelam feocromocitoma de glândula supra-renal à direita, com ausência de invasão angiolinfática ou invasão perineural; margens livres. Negativo para malignidade. No pós-operatório evoluiu com resolução do quadro e alta hospitalar.

Conclusões/Considerações finais

O feocromocitoma é um tumor neuroendócrino raro, passível de tratamento cirúrgico e controle das crises adrenérgicas. Uma anamnese detalhada e diagnóstico bioquímico e de imagem auxilia o médico assiste para o diagnóstico. Para exérese do tumor é necessário o preparo no pré-operatório adequado para evitar mortalidade no perioperatório.

Palavras Chaves

Feocromocitoma; Hipertensão secundária; Adrenal.

Área

Clínica Médica

Instituições

1. Médico Especializando do Serviço de Clínica Médica, da Rede Mater Dei de Saúde em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais - Minas Gerais - Brasil, 2. Cardiologista da Rede Mater Dei de Saúde - Minas Gerais - Brasil, 3. Acadêmico de Medicina da Faculdade de Medicina de Barbacena - Minas Gerais - Brasil

Autores

Ivana Miglio De CASTRO, Evelyn Joyce CORGOSINHO, Etiene Marcio VARGAS, Breno Gontijo De CAMARGOS, Igor Miglio De CASTRO

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017