Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS EM IDOSOS COM FRATURA DE FÊMUR EM UM HOSPITAL DE ALAGOAS

Fundamentação/Introdução

As fraturas de fêmur em idosos constituem um grave problema de saúde pública, com uma estimativa de 100.000 ocorrências por ano no Brasil. Complicações pós-operatórias para sua correção causam aumento de custos, estadia hospitalar e morbimortalidade. Dentre as complicações mais comuns estão o dellirium e a infecção urinária. Um ano após cirurgia, a mortalidade chega a 25%, com proporção semelhante de pacientes com incapacidade para deambulação. Conhecer tais complicações em nosso meio torna-se importante para sua prevenção e tratamento adequados.

Objetivos

Avaliar as principais complicações pós-operatórias dos idosos submetidos à cirurgia para correção de fratura de fêmur em um hospital terciário de Maceió-Alagoas.

Delineamento/Métodos

Estudo descritivo e retrospectivo a partir da revisão de prontuários eletrônicos de idosos internados por fratura de fêmur e submetidos a tratamento cirúrgico no período de 2009 e 2016, buscando-se informações acerca de complicações pós operatórias descritas.

Resultados

201 pacientes com idade igual ou superior a 60 anos foram admitidos por fratura de fêmur e submetidos a tratamento cirúrgico. Destes,83apresentaram complicações pós-operatórias (41,2%) com 16 óbitos (4,9%) durante a estadia hospitalar.As principais complicações observadas foram: dellirium (30,1%), infecção urinária (27,7%), infecção no sítio cirúrgico (16,8%) e sangramento de ferida operatória (18%). Outras complicações encontradas foram anemia, edema e pneumonia.

Conclusões/Considerações finais

Complicações pós-operatórias foram frequentes na amostra analisada (41,2%), sendo dellirium a mais observada (30,1%), o que é concordante com os dados encontrados na literatura. Outras complicações descritas, mas não encontradas nos prontuários analisados, são as cerebrovasculares e úlceras por pressão, assim como tromboembolismo venoso. A presença de protocolos institucionais para prevenção de úlceras por pressão e e tromboembolismo venoso podem justificar a ausência de tais complicações nos prontuários analisados. A intensificação de estratégias para prevenção de delirium e complicações infecciosas pode ajudar na redução do tempo de internação hospitalar edos custos, visando menor morbimortalidade e perda funcional.

Palavras Chaves

fraturas de fêmur; complicações; idoso.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal de Alagoas UFAL - Alagoas - Brasil, Universidade Tiradentes UNIT - Alagoas - Brasil

Autores

Maria Clara de Araújo Cavalcante, Vanessa Garcia Gomes, Hilton José Melo Barros, David Costa Buarque, Any Caroline da Silva Alves

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017