Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

APRESENTAÇÃO ATÍPICA DE TERATOMA OVARIANO COMO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ANGINA PECTORIS: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

O teratoma cístico benigno é a neoplasia ovariana mais frequente entre mulheres jovens, sendo a raça branca a mais acometida. A maior parte dos teratomas maduros são assintomáticos e a ultrassonografia é método diagnóstico que, associado aos marcadores tumorais, auxilia no rastreamento e diagnóstico diferencial de tumores ovarianos.

Objetivos

Relatar a apresentação atípica de um caso de teratoma ovariano em uma paciente idosa cuja apresentação clínica inicial assemelhava-se a um quadro de angina, mas posteriormente foi firmado diagnóstico e tratamento dirigido ao teratoma.

Delineamento/Métodos

Descrição do caso: Paciente G.F.R., sexo feminino, 78 anos, faioderma, hospitalizada aos cuidados da cardiologia devido à provável angina pectoris, evoluiu com queixa de dor abdominal difusa. Não apresentava outros sinais e sintomas como náuseas, vômitos, febre, perda ponderal e alterações do hábito intestinal. Menopausa aos 49 anos, G10P10A0, sem alterações do ciclo menstrual anterior à menopausa, não fez uso de anticoncepcional oral nem de terapia hormonal.

Resultados

Descrição do caso: Ao exame físico apresentava abdome globoso, flácido, indolor à palpação, presença de massa em região hipogástrica e ruídos hidroaéreos presentes. Solicitou-se ultrassonografia abdominal total que evidenciou imagem nodular em cavidade abdominal a esclarecer, sendo aventada hipótese de coleção. Seguindo propedêutica, solicitou-se tomografia computadorizada de abdome total, que evidenciou massa com densidade de gordura e paredes irregulares e calcificadas, localizada no hipogástrio, em íntimo contato com alças do intestino delgado e parede abdominal anterior à esquerda, medindo 8,1 x 5,6 cm em seus maiores eixos axiais, sugerindo teratoma. Foram solicitados marcadores tumorais: Antígeno carcinoembriogênico (CEA): 1,38 ng/ml e alfa-fetoproteína (AFP): 5, 27 ng/ml (dentro dos limites de normalidade). Com a hipótese diagnóstica de teratoma, a conduta foi indicação de abordagem cirúrgica e a paciente foi submetida à ooforectomia bilateral, com ressecção de teratoma. A mesma não apresentou intercorrências durante o ato cirúrgico e evoluiu sem queixas.

Conclusões/Considerações finais

A forma de apresentação do teratoma na paciente em questão foi atípica, posto que ela era idosa, faioderma e com sintomas associados. Neste caso, a conduta cirúrgica foi curativa e os métodos de imagem e a dosagem de marcadores tumorais, associados à clínica, foram essenciais para o diagnóstico e tratamento.

Palavras Chaves

ANGINA PECTORIS, APRESENTAÇÃO CLÍNICA, FAIODERMA, IDOSA, MARCADORES TUMORAIS, TERATOMA OVARIANO

Área

Clínica Médica

Instituições

Santa Casa de Misericórdia de Araguari - Minas Gerais - Brasil

Autores

JÉSSICA EVANGELISTA DE QUEIROZ, VALDENICE RODRIGUES DA CUNHA SOUSA, FRANCIELLY DOS SANTOS VIEIRA, DEBORA OLIVEIRA QUEIROZ MACHADO, RAYANE STEFANIE BOTELHO FONSECA

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017