Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CÂNCER COLORRETAL E POSSÍVEL RELAÇÃO COM IMUNOSSUPRESSÃO CRÔNICA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

O câncer colorretal (CCR) é um importante problema de saúde, sendo o segundo tipo de câncer mais prevalente no mundo, associado à alta mortalidade. O mais desfavorável aspecto do CCR é decorrente do silencioso desenvolvimento da lesão e do longo período em que ela permanece assintomática, principalmente se situada no cólon direito, fato que torna seu diagnóstico tardio. Alguns estudos apontam para a relação entre o uso crônico de imunossupressores e o aumento da incidência de tumores, principalmente após transplantes. Esse mecanismo ainda não foi bem elucidado, mas sabe-se que essas drogas diminuem a ação do sistema imunológico, levando à perda de sua capacidade de conter uma proliferação descontrolada de células transformadas e de destruí-las antes que elas tornem-se um tumor lesivo, favorecendo, assim, a formação de neoplasias. Dessa forma, a imunossupressão gerada pelo uso crônico de glicocorticoide associado à Azatioprina, o qual é o tratamento preconizado para hepatite autoimune, pode estar associada ao CCR.

Objetivos

Descrever um caso de câncer colorretal que apresenta como fator de risco o uso crônico de imunossupressores.

Delineamento/Métodos

Relato de caso.

Resultados

Paciente, sexo feminino, 54 anos, com diagnóstico de hepatite autoimune tipo 1, em uso contínuo de imunossupressores (Azatioprina 50mg/dia e Prednisona 10mg/dia) desde o diagnóstico, há 11 anos. Evolui com alteração no trato gastrointestinal, relato de hematoquezia e sensação de evacuação incompleta. Nega etilismo, tabagismo e história familiar de doenças neoplásicas, inflamatórias intestinais e hereditárias. Iniciada propedêutica para investigação, com pesquisa de sangue oculto nas fezes positiva, hemograma com anemia normocítica e normocrômica, antígeno carcinoembriogênico (CEA) = 7,01 ng/mL e CA 19-9 = 75,9 U/mL. Realizada colonoscopia que detectou lesão blastomatosa de reto de aproximadamente 4cm e biópsia, confirmando o diagnóstico de CCR - estágio I. Paciente iniciou tratamento rádio e quimioterápico, aguardando redução tumoral para provável colostomia.

Conclusões/Considerações finais

Nesse contexto, a imunossupressão crônica gerada pelo tratamento da hepatite autoimune pode estar associada ao CCR. No caso descrito, buscamos evidenciar essa possível relação, uma vez que o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer foi o uso crônico de imunossupressores, sendo necessárias maiores investigações científicas para sua confirmação e futura aplicabilidade clínica em outras condições crônicas.

Palavras Chaves

Câncer colorretal; imunossupressão; hepatite autoimune.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares - Minas Gerais - Brasil

Autores

Luana Ribeiro Silveira, Rafaela Modenesi Venâncio

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017