Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Colangite Esclerosante Primária – Relato de caso

Fundamentação/Introdução

Introdução: A Colangite Esclerosante Primária (CEP) é uma doença hepática colestática crônica, de etiologia autoimune, caracterizada por inflamação e fibrose dos ductos biliares. Os homens são mais acometidos e os sintomas aparecem com a progressão da doença e incluem prurido, icterícia, fadiga, perda de peso. A doença esta fortemente associada a doenças inflamatórias intestinais e exibe maior risco de evolução para displasia, câncer colorretal e colangiocarcinoma. O transplante hepático continua sendo o único tratamento comprovado a longo prazo para a CEP.

Objetivos

Objetivo: O objetivo deste relato é ressaltar um dos possíveis diagnósticos diferenciais em pacientes com quadro colestático.

Delineamento/Métodos

Descrição do Caso: Paciente A.C.P., sexo masculino, 75 anos, procurou o Pronto Atendimento no dia 10/04/17 com relato de icterícia, acolia fecal, colúria e prurido por todo o corpo. Negou emagrecimento. Início dos sintomas há 10 dias. Nesse período, informa ter realizado tratamento para Rinossinusite com Clavulin por 14 dias, sendo o término da antibioticoterapia associado ao início dos sintomas. No exame físico, apresentou-se ictérico (3+/4+), abdome indolor à palpação, com fígado e baço não palpáveis e sem linfadenomegalia. Na história pregressa refere hepatite A e B em 1987, plaquetopenia e glaucoma em acompanhamento adequado. Nega antecedentes cirúrgicos. Foi internado para investigação e propedêutica. Os exames laboratoriais da internação foram incompatíveis com hepatite infecciosa em atividade e compatível com hepatopatia colestática: bilirrubina total:17,68(direta:15,33 indireta:22,35)/TGO:113/TGP:196/GGT:420/FA:353/amilase:57/lipase:116. US Abdominal (10/04): leve distensão de vias biliares hepáticas e lama biliar sem sinais inflamatórios associados. Colangioressonância (11/04): discreta dilatação de vias biliares intra-hepáticas mais distais, com dificil visualização. Colangiopancreatografia retrograda endoscopia (CPRE)-(14/04): ducto colédoco e hepático comum sem alterações, com calibre de 5mm, vias biliares intra-hepáticas rarefeitas, compatível com CEP. Colonoscopia sem alterações. Foi optado por tratamento conservador, com uso de Ursacol, hidratação venosa e anti-histamínicos. O paciente recebeu alta hospitalar após 10 dias de internação com melhora do quadro clínico.

Resultados

-

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: A CEP, apesar de uma patologia relativamente rara, deve sempre ser investigada em quadros de colangite, especialmente devido ao seu prognóstico e evolução insidiosa.

Palavras Chaves

colangite esclerosante primaria

Área

Clínica Médica

Autores

LORENA ROCHA DIAS MACHADO, FERNANDA RODRIGUES FROES VICTORIA, CAMILLE VILLEFORT SILVA CHAVES, FERNANDO AUGUSTO OLIVEIRA, STAEL LUCIANO CARDOSO

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017