Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Choque séptico e Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo na Paracoccidioidomicose Aguda – correlação anatomoclínica

Fundamentação/Introdução

A Paracoccidioidomicose (PCM) é uma micose sistêmica endêmica na América Latina causada pelo fungo Paracoccidioides sp. A forma aguda/subaguda corresponde a 10% dos casos e acomete crianças, adolescentes e adultos jovens. A incidência é maior nas áreas rurais e em indivíduos que manipulam o solo

Objetivos

Correlacionar os achados de necropsia com os dados clínicos de uma paciente com sepse e dano alveolar difuso por PCM aguda, não suspeitada clinicamente.

Delineamento/Métodos

Revisão do prontuário e estudo necroscópico.

Resultados

L.F.G.M, mulher, 36 anos, professora em área rural, previamente hígida. Cursou por 2 meses com febre, astenia, emagrecimento e dor abdominal. O exame físico revelou hepatoesplenomegalia e taquipneia. Havia pancitopenia, e os testes rápidos para leishmaniose visceral e HIV resultaram negativos. TC revelou linfonodomegalia retroperitoneal. O mielograma revelou hiperplasia granulocítica e eritrocítica, eosinofilia, sem parasitas ou células neoplásicas. Evoluiu com insuficiência respiratória aguda e choque, foi instituída ventilação mecânica invasiva com parâmetros elevados. Tratada inicialmente com ceftriaxona, substituiu-se por vancomicina, polimixina B, meropenem e anfotericina, esta ainda pela suspeita de calazar. Apresentou insuficiência renal. O óbito ocorreu após 4 dias da admissão hospitalar. A necropsia revelou extenso acometimento do sistema mononuclear fagocitário pelo Paracoccidioides sp. Os linfonodos e a medula óssea tinham áreas de necrose com numerosas leveduras com gemulação múltipla, e inflamação esboçando granulomas. Além destes achados, havia no baço grande agressão vascular pelo fungo, com áreas de trombose recente e extenso infarto esplênico. Havia miocardite com esparsas leveduras. Observou-se congestão pulmonar, espessamento dos septos alveolares e frequentes membranas hialinas, sem identificação de estruturas fúngicas.

Conclusões/Considerações finais

Deve-se considerar PCM em pacientes com linfonodomegalia ou hepatoesplenomegalia febril, de curso subagudo, mesmo em casos com apresentação atípica de sepse. O acometimento pulmonar clinicamente manifesto nesta forma da doença é raro, deve-se provavelmente ao processo inflamatório, e não à lesão direta pelo fungo, ausente nas amostras de pulmão neste caso. Não havia imunodeficiência conhecida, mas polimorfismos genéticos podem contribuir para a susceptibilidade individual.

Palavras Chaves

Paracoccidioidomicose Aguda; Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo; Choque Séptico; Necropsia

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais - Minas Gerais - Brasil

Autores

Ana Júlia Furbino Dias Bicalho, Henrique Valladão Pires Gama, Luiz Otávio Savassi Rocha, Eduardo Paulino Jr, Weverton César Siqueira

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017