Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DIAGNÓSTICO TARDIO DE DEFEITO CONGÊNITO LEVANDO À SÍNDROME DE EISENMENGER EM IDOSO

Fundamentação/Introdução

A síndrome de Eisenmenger (SE), uma condição progressiva e irreversível, caracteriza-se por elevação das pressões de artéria pulmonar a níveis sistêmicos associada a defeitos cardíacos congênitos não tratados, com shunt reverso ou bidirecional. No paciente adulto, os principais achados são dispneia aos esforços, dor torácica, síncope e hemoptise. Vasodilatadores arteriais pulmonares e transplante coração-pulmão são possibilidades terapêuticas, mas a morbimortalidade da doença mantém-se elevada.

Objetivos

Apresentar a comunidade científica e médicos relato de paciente com CIA levando a SE, alertando-os sobre a importância do diagnóstico precoce.

Delineamento/Métodos

Relato de caso.

Resultados

T.A.S., sexo masculino, negro, 75 anos, ex-tabagista, ex-etilista, hipertenso e diabético, natural e procedente de Uberaba/MG, queixando-se de dispneia aos mínimos esforços, precordialgia e edema de membros inferiores há duas semanas. À admissão, apresentava-se em mau estado geral, dispneico, com estertores nas bases pulmonares e hipoxemia. O exame cardiovascular mostrou ritmo cardíaco regular, hipofonese de B1, desdobramento fixo de B2, sopro sistólico paraesternal esquerdo de 3+/6+, em foco tricúspide, FC 90 bpm e PA 90 x 60 mmHg. Notava-se baqueteamento digital evidente e edema 3+/4+ em tornozelos e pés. Um eletrocardiograma mostrou marcapasso atrial multifocal, bloqueio de ramo direito de grau avançado e alterações difusas de repolarização ventricular. A gasometria de entrada mostrou pO2 36,9 e sO2 70,1%. Houve melhora com suplementação de O2 em alto fluxo em máscara e indução de diurese. Posteriormente, entre outros exames, um ecocardiograma mostrou sobrecarga evidente de câmaras direitas, aumento de átrio esquerdo, comunicação interatrial (CIA) de 3,1 cm do tipo ostium secundum com fluxo bidirecional e hipertensão pulmonar (PsAP de 78 mmHg). Foi feita então a hipótese diagnóstica de CIA levando a SE e cor pulmonale. Com tratamento otimizado para insuficiência cardíaca e oxigenoterapia, houve melhora progressiva e significativa do quadro, e o paciente recebeu alta para seguimento ambulatorial. Devido à idade avançada e à presença de SE, foram contraindicados tanto a correção cirúrgica da CIA quanto o transplante coração-pulmão combinado.

Conclusões/Considerações finais

É necessário suspeitar-se precocemente de defeitos cardíacos congênitos, visto que pacientes com CIA podem permanecer assintomáticos mesmo na vida adulta e somente apresentarem manifestações relevantes com a SE já instalada, quando as opções terapêuticas se tornam inviáveis.

Palavras Chaves

Eisenmenger; CIA;

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade de Uberaba - Minas Gerais - Brasil

Autores

Giovana de Andrade Resende, Larissa D'Amico Santos, Vanessa Rodrigues Cardoso, Samir Idaló Júnior, Daniel Hugo Winter

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017