Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Hepatite Aguda após administração venosa de Amiodarona

Fundamentação/Introdução

Introdução: A Amiodarona é um antiarrítmico prescrito com frequência e seu uso crônico está associado à ocorrência de muitos efeitos adversos extracardíacos. A toxicidade hepática varia de uma elevação assintomática e transitória de aminotransferases séricas (25%), até doença grave (1% -3%). O quadro agudo durante a utilização venosa (EV) é raramente descrito (< 0,01%). Ocorre principalmente dentro das primeiras 24 h após o início da administração, mas pode surgir nos próximos 3 dias, evoluindo com melhora após descontinuação da droga.

Objetivos

Objetivo: Relatar um caso de hepatite aguda relacionada ao uso de Amiodarona EV.

Delineamento/Métodos

Descrição do caso: Mulher, 69 anos, hipertensa e hipotireoidea, diagnosticada com IAMSST de parede anterior, tratada com ACTP primária. Após 3 dias de internação na UCO apresentou Fibrilação Atrial, sendo prescrito Amiodarona EV. Evoluiu com dor abdominal e mal estar, apresentando hipotensão, má perfusão periférica, acidose metabólica grave com hiperlactatemia e alteração de enzimas hepáticas e pancreáticas: TGO 6.190, TGP 3.697, GGT 236, bilirrubina total 1,15, amilase 964, lipase 2.659. Sorologias para hepatites virais negativas. US de abdome sem alterações hepáticas, de vesícula biliar e/ou vias biliares. ECOTT: cardiopatia segmentar do ventrículo esquerdo com FEVE de 26%, associado a disfunção diastólica grau II do VE, PSAP estimada 51 mmHg.

Resultados

Hipótese diagnóstica: Hepatite aguda por Amiodarona, sendo suspenso seu uso e realizado tratamento de suporte (hidratação, intubação orotraqueal, ventilação mecânica, aminas). Evoluiu com melhora progressiva do quadro hemodinâmico e resolução da hepatite. Encontra-se em acompanhamento cardiológico ambulatorial, em classe funcional NYHA I, ECOTT com FEVE de 47%.

Conclusões/Considerações finais

Conclusão: O acometimento hepático é causado por lesão hepatocelular e o mecanismo ainda não está claro. Acredita-se que ocorre dano mitocondrial e que a dose administrada e o contexto clínico sejam importantes. Os seguintes critérios, descritos na literatura e presentes neste caso, estabelecem a relação causal entre a exposição à Amiodarona EV e a hepatite aguda: (1) alterações súbitas das enzimas hepáticas nas primeiras 24 h; (2) elevação de aminotransferases maior que 50 vezes o limite superior da normalidade; (3) rápida melhora após a suspensão da droga; (4) exclusão de outras causas. Com isso, ressalta-se a importância da monitorização da função hepática durante a infusão de Amiodarona, a fim de identificar qualquer potencial hepatotoxicidade.

Palavras Chaves

Hepatite, amiodarona, infarto

Área

Clínica Médica

Autores

Carolina Souza Galvão, Maria Carmo Rabelo Alvim Rodrigues, Luciana Cristian Coelho Garcia, Tatiana Januzzi Naves Vilela, Francisco Rezende Silveira

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017